CidadesCuriosidadesEducaçãoMenu Principal
Trending

#Bahia: Especialistas do Conjunto Eólico Campo Largo 2 alertam sobre cuidados com serpentes no período chuvoso

Durante o monitoramento de fauna no empreendimento, as equipes identificaram 21 espécies de serpentes, sendo três delas peçonhentas: Cascavel, Jararaca e Coral.

Na região norte da Bahia, onde estão localizadas as cidades de Umburanas e Sento Sé, o período chuvoso já começou. Com a mudança do tempo, o aparecimento de animais peçonhentos, como as serpentes, costuma aumentar em residências, já que esses bichos procuram abrigos quentes e secos para se alojarem.

Diante desse cenário, os especialistas do Conjunto Eólico Campo Largo 2, em implantação pela ENGIE na região, alertam para a importância de manter quintais, jardins e terrenos baldios limpos, e de não acumular entulho e lixo.

“Nesta fase, o aumento da oferta de alimento, como ratos e baratas, também contribui para o aparecimento de animais peçonhentos, por isso é necessário redobrar a atenção. Sacudir roupas e olhar os sapatos antes de calçá-los são algumas das medidas preventivas importantes que devem ser adotadas”, alerta o coordenador de meio ambiente da ENGIE, João Wendel.

De acordo com Wendel, ao realizar trilhas ou manusear entulhos e/ou plantas, o indicado é utilizar botas, luvas, calça, camisa de manga comprida, perneiras, entre outros equipamentos de proteção, a fim de evitar acidentes. “Caso encontre um animal, afaste-se e não toque nele”, alerta o coordenador.

Durante o monitoramento de fauna no empreendimento, as equipes identificaram 21 espécies de serpentes, sendo três delas peçonhentas: Cascavel, Jararaca e Coral. Os animais variam bastante de tamanho, indo de espécies pequenas, como a cobra da terra, que tem em torno de 20 cm, até as grandes jiboias, que passam dos dois metros de comprimento.

“Apesar da maioria das espécies não serem venenosas, a identificação correta não é nada fácil. Neste caso, é necessário sempre buscar ajuda de profissional habilitado que faça a captura e remoção do animal da área de risco para um ambiente de mata preservada. Isso evita acidentes tanto para a pessoa quanto para o animal, que será capturado da forma correta”, destaca João Wendel.

Cuidados em caso de acidentes
Os acidentes com estes animais não são comuns, mas caso aconteça, é preciso seguir algumas orientações:
Mantenha a calma;
Não tome medicamento sem orientação médica;
Não faça torniquetes (garrotes), pois pode agravar o quadro;
Encaminhe a pessoa ao hospital mais próximo, o mais rápido possível;
Não é necessário levar o animal, a partir dos sintomas é possível a identificação da espécie.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios