AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Chapada: Ibicoara e Vale do Capão têm focos de incêndio controlados; equipes monitoram as regiões

foto5
O fogo consumiu área da Serra da Águia em Ibicoara e assustou moradores da região | FOTO: Tayne Luz |

Os focos de incêndio florestal que atingiram os municípios de Palmeiras e Ibicoara, na Chapada Diamantina, esta semana, estão controlados, porém ainda não foram extintos. O Jornal da Chapada entrou em contato com a equipe do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que administra o Parque Nacional na Chapada Diamantina (PNCD), na manhã desta quarta-feira (11), e foi informado sobre a situação atual do combate ao fogo na região do Morro Branco, no Vale do Capão (Palmeiras).

Segundo o chefe interino do parque, Cézar Gonçalves, o foco tem voltado recorrentemente, processo que é chamado de reignição. “Ontem [10], foi feito um trabalho de controle do incêndio e ele foi controlado. Mas subiu uma nova equipe hoje [11] para manter sob o controle, evitar que ele avance e tentar extingui-lo. O fogo tem vários processos, um deles é controlar, mas ele não está extinto, ele está lá e pode voltar e se tornar um problema de novo”, explica Gonçalves.

No momento, 10 brigadistas contratados pelo ICMBio e um grupo de brigadistas da Associação de Condutores de Visitantes do Vale do Capão (ACV-VC) e voluntários fazem o rescaldo na área do Morro Branco, onde possíveis focos de novos incêndios são investigados e combatidos. “Enquanto o fogo não for extinto, nós vamos manter a situação de alerta e vamos monitorando os focos”, garante Cézar. Ele ainda informa que o fogo não atingiu nenhuma área que seja objeto de visitação. “Naquela região só existe a trilha da Fumaça, que está muito longe da área atingida”.

Confira fotos de Tayne Luz do grande incêndio em Ibicoara:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ibicoara
Na madrugada desta quarta (11), o grande incêndio florestal que atingiu a região da Serra da Águia, no município de Ibicoara, na Chapada Diamantina, também foi controlado. Ainda nesta quarta, a equipe que está combatendo este foco, desde o último domingo (8), recebeu reforços do Bahia Sem Fogo, programa da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Dois aviões Air Tractor, um helicóptero, cinco veículos 4×4 e vans, além de equipamentos de proteção individual e coletiva, ajudam aos combatentes no monitoramento dos focos.

De acordo com a coordenadora de Fiscalização Preventiva do Inema e perita em incêndios florestais, Fabíola Cotrim, também foi deslocado para Ibicoara um grupo de trabalho unificado do Corpo de Bombeiros e do Sistema de Meio Ambiente do Estado da Bahia para verificar a situação e dar continuidade às atividades que estão sendo empregadas.

Com a coordenação do Bahia Sem Fogo e da Secretaria de Meio Ambiente do município, 78 combatentes estão no local realizando ações. Entre bombeiros militares de Feira de Santana, Vitória da Conquista e Salvador, a brigada federal Prevfogo Rosely Nunes, as brigadas municipais Bicho do Mato, ACVIB e Radical Chapada, além das brigadas voluntárias de Barra de Estiva e da Fazenda Igarashi.

Causa dos incêndios na Chapada Diamantina
Segundo Cézar Gonçalves, nesta época do ano, os incêndios florestais são colocados por pessoas, pois focos naturais só acontecem no começo ou no final das chuvas, quando há tempestades de raios, o que não foi o caso.

Jornal da Chapada

Leia também:
Chapada: Foco de incêndio atinge área do Vale do Capão; Andaraí também registra casos
Chapada: Combate a grande incêndio em Ibicoara ganha reforço da equipe do Bahia Sem Fogo
Chapada: Presidente da brigada de Andaraí denuncia a ‘indústria do fogo’ na região
Chapada: Incêndio florestal é controlado na região do município de Ituaçu
Chapada: Grupo do MST denuncia crime ambiental em Unidade de Conservação da Serra do Orobó

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas