Tradicional Corrida de “Jericos” atrai multidão em Panelas, no interior de Pernambuco

Postado em maio 1 2015 - 8:45pm por Jornal da Chapada
foto

Centenas de pessoas acompanham a tradicional corrida de jericos | FOTO: Reprodução/Lafaete Vaz/GloboEsporte.com |

Quando se ouve falar de um esporte que reúne milhares de pessoas para assistir e o elemento principal é a velocidade, as primeiras opções que surgem na cabeça são Fórmula 1, atletismo, Stock Car… Mas, em Panelas, no Agreste de Pernambuco, uma multidão se reúne anualmente para acompanhar a tradicional Corrida de Jericos. Este ano acontece a 42º edição do Festival Nacional de Jericos, realizada sempre no Dia do Trabalho. A Corrida de Jericos surgiu na década de 70 com o objetivo de chamar a atenção da população para a matança dos animais, algo que era comum na região. O Secretário de Desenvolvimento e Turismo da cidade, Ruben de Lima, explica a importância do evento para a cidade e para o bem do animal.

“A tradição movimenta nossa economia. Quase 100 mil pessoas visitam a cidade durante o festejo, além de fazer com que o animal seja valorizado. Foi criada com o intuito de cuidar do animal que sempre serviu como instrumento de trabalho para o homem de campo”. Na competição deste ano, 68 jockeys se reuniram em uma das principais avenidas da cidade para percorrer 220 m de pista em cima do animal. Eles foram divididos em 14 baterias. Os dois primeiros se classificavam para fase seguinte, até chegar ao campeão. Alguns jericos chegaram a passar dos 80km/h. Cerca de 3 mil pessoas acompanharam a disputa.

O jockey Everlan da Silva participa do evento pela segunda vez e diz que se preparou para garantir o título. “Participei ano passado e fiquei em 10º lugar entre muitos competidores. Foi melhor do que nada, mas esse ano, se Deus quiser vou ganhar. Eu treinei por quase um mês com o meu jerico e estamos muito bem”. Não só pessoas do município podem participam da corrida. Moradores de outras cidades e estados também vêm para competir ou se divertir, como Juan da Silva, de Altinho, também agreste pernambucano, que participa pela primeira vez com o jerico Foguete. Ele afirma que o importante é participar.

“Estou participando pela primeira vez e acho que não vou chegar nem perto. O animal não é meu, não conheço muito bem. Vim só para participar, o que vale é a brincadeira. O nome que dei ao meu animal é Foguete”. O Festival Nacional de Jericos teve início na última quinta-feira e segue até o dia 4 de maio com programação diversa. Extraído do Globo Esporte.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.