NOB implanta equipamento de ponta para preservar cabelo de pacientes durante o tratamento quimioterápico

Postado em jan 21 2016 - 1:45pm por Jornal da Chapada
foto5

A tecnologia é indicada para alguns tratamentos do câncer | FOTO: Reprodução |

Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil terá 596 mil novos casos de câncer em 2016. Um dos efeitos colaterais mais incômodos da quimioterapia, tratamento mais utilizado no combate à doença, é a queda de cabelos, ou alopecia, que já pode ser minimizada por meio de uma técnica chamada crioterapia. Na Bahia, o NOB (Núcleo de Oncologia da Bahia) é pioneiro no serviço, disponibilizado nas clínicas do Grupo Oncoclínicas, localizadas em nove estados brasileiros.

A tecnologia é indicada para alguns tratamentos do câncer. “Além de ajudar a reduzir a queda de cabelos, a tecnologia ajuda a manter a autoestima, que geralmente fica abalada quando os cabelos caem e o paciente passa a usar peruca ou lenço”, declara a oncologista Samira Mascarenhas, da equipe do NOB.

O equipamento inglês, usado para resfriamento do couro cabeludo, já foi utilizado em vários países da Europa, em mais de dois mil pacientes submetidos a diferentes tratamentos quimioterápicos e a taxa de sucesso variou de 49% a 100% dos casos publicados.

“Em geral, o tratamento é bem tolerado, porém, alguns pacientes podem se queixar de dor de cabeça, tontura e sensação de frio, sintomas que são rapidamente superados pelos resultados alcançados”, afirma o oncologista Gilberto Lopes, diretor científico do Grupo Oncoclínicas e membro do corpo clínico do Centro Paulista de Oncologia e do HCor Onco

Crioterapia
A touca gelada, resfriada a menos 4°C, gera uma sensação térmica no couro cabeludo de até 16°C, fazendo com que os vasos sanguíneos se contraiam. Com espaços mais contraídos, a quantidade de medicação que chega até a raiz do cabelo é menor.

“Desde a década de 70, o resfriamento do couro cabeludo tem sido usado como meio preventivo da alopecia induzida pela quimioterapia. Diferentes técnicas foram utilizadas, como o uso de pacotes de gelo, toucas de criogel, ar resfriado e máquinas que circulam um líquido em baixas temperaturas em uma touca”, destaca Lopes.

Os resultados dos estudos sobre resfriamento do couro cabeludo para a prevenção da queda de cabelos são variáveis, porém, a maioria deles foi favorável.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.