AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Salvador: Projeto de matriz africana prepara 100 jovens na capital baiana

reis
Projeto Rede Ardecente se encerra nesta sexta às 14 horas, na Casa do Benin, no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador | FOTO: Reprodução/Marcelo Reis |

Cem jovens de comunidades de cinco terreiros de candomblé da capital baiana e do seu entorno estão preparados pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) – em parceria com a Organização Social Filhos de Marujo – para produzir elementos religiosos como roupas, adereços, ferramentas de orixás e instrumentos sagrados. A solenidade de encerramento do projeto Rede Ardecente será, nesta sexta-feira (26), na Casa do Benin, no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. Preparados pelo Governo do Estado, com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Funcep), os jovens integram a população dos cinco terreiros.

CONTEMPLADOS
A iniciativa do Governo do Estado, através da Setre, contemplou com oficinas: Associação Religiosa e Cultural Santo Antônio de Pádua do Ilê Axé Ogum Osim Omolé com instrumentos (atabaques); Ilê Axé Iba Lugan com Bordados e Richilieu; Onzó Kanzuá Monaleuci Umguzo de Um Zambe, com roupas Afro e Axé com costura; Centro Cabloco Eru da Aldeia de Jequiriçá com ferramentas de Orixás; Ilê Axé Opo Onirê com adereço de Orixás. As instituições religiosas e comunitárias estão localizadas nos bairros de São Tomé, São Cristóvão, Paripe, Engenho Velho da Federação e Pau da Lima.

PRESERVAÇÃO
“O convênio celebrado entre a Rede Ardecente e a Setre – a partir do edital 001/2014 – teve como objetivo propagar as raízes culturais e a religiosidade de matriz africana que, há séculos, é símbolo de exclusão e discriminação de parte da sociedade brasileira”, adianta o secretário estadual do Trabalho e Esporte, Álvaro Gomes, que fará parte da solenidade. O Edital 001/2014 proporciona “Apoio a Empreendimentos Econômicos Solidários e a Redes de Economia Solidária no Âmbito dos Espaços Socioculturais de Matriz Africana”.

Ainda segundo o titular da Setre, “a expectativa com esta qualificação é formar jovens empreendedores; desenvolver senso de solidariedade e sustentabilidade para a juventude, além de contribuir para a redução do índice de criminalidade nas periferias e o aumento da empregabilidade”. E completa: “esses empreendimentos serão referência na produção, consumo e comercialização de elementos religiosos”.

MAIOR EDITAL
Considerado o maior do gênero firmado por um ente público no Brasil, o edital 001/2014 está liberando um valor global de R$ 9 milhões. Lançada em março de 2014, a Chamada Pública oferece apoio institucional e técnico-financeiro a projetos apresentados por pessoas jurídicas de direito privado e sem fins lucrativos.

No lançamento, o edital recebeu 80 propostas e classificou 34 instituições e com atuação comprovada no Estado da Bahia. A Rede Ardecente – que venceu a concorrência – é composta por 100 terreiros de candomblé. O convênio celebrado com a Setre foi estipulado em R$ 295 mil, divididos em duas parcelas, e com prazo de execução de 22 meses.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas