Ator José Mayer é cortado de novela da Globo após acusação de assédio sexual

Postado em abr 4 2017 - 4:24pm por Jornal da Chapada
josé

José Mayer se defendeu pedindo que as pessoas “não misturem realidade com ficção” | FOTO: Globo/Divulgação |

José Mayer ficará de fora da próxima novela de Aguinaldo Silva. Após a acusação de assédio sexual, o ator, reservado para O sétimo guardião, foi cortado pela emissora. Procurada pelo Viver, a assessoria de imprensa confirmou a informação através de nota. “Essa é uma atitude isenta e responsável da Globo de não dar visibilidade a uma das partes envolvidas numa questão que é visceralmente contra tudo que a Globo acredita”, diz trecho.

A informação começou a circular a partir de nota do colunista Fernando Oliveira, do jornal Folha de S.Paulo. Em seguida, o dramaturgo pernambucano Aguinaldo Silva chegou a negar a informação em entrevista ao jornal O Globo. “Por enquanto, ele está mantido na minha novela, sim. Mas cabe à Globo e à Justiça apurar o caso”, declarou o autor. O folhetim tem estreia prevista para 2018.

Na última sexta-feira (31), foi publicado um texto da figurinista Susllem Meneguzzi Tonani, da Globo, no blog #AgoraÉQueSãoElas, da Folha de S.Paulo, em que a funcionária relata como foi assediada e hostilizada por Mayer, de 67 anos. Susllem, de 28 anos, disse não querer esconder o nome para que o caso se torne público e afirmou que, depois da violência inicial, o ator ainda ameaçou tocá-la outra vez caso ela não parasse de ignorá-lo.

“Em fevereiro de 2017, dentro do camarim da empresa, na presença de outras duas mulheres, esse ator, branco, rico, de 67 anos, que fez fama como garanhão, colocou a mão esquerda na minha genitália. Sim, ele colocou a mão na minha buceta e ainda disse que esse era seu desejo antigo. Elas? Elas, que poderiam estar eu meu lugar, não ficaram constrangidas. Chegaram até a rir de sua ‘piada’. Eu? Eu me vi só, desprotegida, encurralada, ridicularizada, inferiorizada, invisível. Senti desespero, nojo, arrependimento de estar ali. Não havia cumplicidade, sororidade”, descreveu a figurinista.

José Mayer se defendeu pedindo que as pessoas “não misturem realidade com ficção”, comparando a situação com o personagem que interpretava na novela A lei do amor, o vilão Tião. “Respeito muito as mulheres, meus companheiros e o meu ambiente de trabalho e peço a todos que não misturem ficção com realidade”. Mayer também declarou que “as palavras e atitudes que me atribuíram são próprias do machismo e da misoginia do personagem Tião Bezerra, não são minhas!”.

A Globo já havia se posicionado sobre o caso, afirmando que “repudia toda e qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito. E zela para que as relações entre funcionários e colaboradores da emissora se deem em um ambiente de harmonia e colaboração, de acordo com o Código de Ética e Conduta do Grupo Globo”. A emissora também garantiu que “as medidas necessárias estão sendo tomadas”.

Confira a nota na íntegra:
No que diz respeito à escalação, sim, a Globo decidiu não escalar José Mayer para a próxima novela das nove de Aguinaldo Silva, prevista para ir ao ar em 2018. Essa é uma atitude isenta e responsável da Globo de não dar visibilidade a uma das partes envolvidas numa questão que é visceralmente contra tudo que a Globo acredita. E não é uma atitude isolada. A atitude da Globo será sempre essa. A de defender que casos como esse devem ser apurados, ouvindo e oferecendo todo apoio às duas partes, dando possibilidade para que a verdade aflore e criando condições para que não se repitam. Foi isso que fizemos. E é isso que sempre faremos. Matéria extraída na íntegra do Diário de Pernambuco.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.