Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Deputado Carlos Geilson diz que segurança na Bahia está pior que países em guerra

geilson
Sabemos todos que o crescimento da violência é um mal que atinge todo o país, todos os estados, uns mais, outros menos, diz o parlamentar | FOTO: Divulgação/Ascom |

“Os números do Atlas da Violência são estarrecedores. Estamos vivendo no Brasil e na Bahia uma verdadeira guerra, brutal e desumana, que tem causado mais mortes que as ações terroristas em todo o mundo”, alertou o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em pronunciamento na Assembleia Legislativa da Bahia nesta terça-feira (6). Bahia tem oito municípios entre os 20 mais violentos do país, conforme o Atlas da Violência 2017, divulgado na última segunda-feira (5), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Este ano, até o domingo passado, quando um ataque em Londres matou sete pessoas e deixou quase 50 feridos, ocorreram 498 atentados terroristas em todo o mundo, nos quais 3.314 pessoas morreram. Enquanto isso, o Brasil, segundo o Atlas da Violência, registrou 59.080 assassinatos no país em 2015. Na Bahia, foram assassinadas 6.012 pessoas no mesmo período. “Sabemos todos que o crescimento da violência é um mal que atinge todo o país, todos os estados, uns mais, outros menos. Não é um fenômeno restrito à Bahia. Mas é um problema que tem se agravado cada vez mais na Bahia”, salientou o parlamentar.

O número de homicídios no Brasil passou de 48.136 em 2005 para 59.080 em 2015, um aumento expressivo, de 22,7% em 10 anos. Na Bahia, o número de pessoas assassinadas saiu de 2.881 em 2005 para 6.012 em 2015: um aumento de 108,7% em dez anos. “Esses números demonstram mais que a ineficiência, demonstram a falência total e absoluta da política de segurança pública executada na Bahia pelos governos do PT”, criticou Geilson.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios