CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

#Bahia: Uneb concede título de doutor ‘honoris causa’ a ‘Cacique Babau’; reitor reafirma política de inclusão

A iniciativa da Uneb contou o apoio também da Alba, que, atendendo indicação do então deputado Bira Coroa, que encaminhou ofício solicitando o título ao cacique indígena | FOTO: Divulgação/Mídia Ninja |

A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) concedeu o título de doutor ‘honoris causa’ ao cacique tupinambá Rosivaldo Ferreira da Silva, o popular Babau. A aprovação aconteceu em sessão especial do Conselho Universitário (Consu) da Uneb realizada na última quarta-feira (17), em Salvador, contando com a presença de mais de 40 conselheiros. Na avaliação do presidente do Consu, José Bites, reitor da Uneb, a outorga do título a Babau reafirma o pioneirismo da universidade em sua política de ações afirmativas e inclusivas.

“Adotamos, desde 2002, o sistema de cotas para negros e indígenas nos cursos de graduação e pós-graduação. E somos uma das instituições pioneiras no país na oferta de cursos de nível superior em áreas indígenas e de reforma agrária. Isso orgulha muito a nossa comunidade acadêmica”, disse o reitor. A proposta da honraria teve relevante participação do Centro de Estudos e Pesquisas Intercultural e da Temática Indígena (Cepiti), do Departamento de Educação (DEDC) do Campus X da Uneb, em Teixeira de Freitas, sul do estado, região onde se localiza a aldeia tupinambá do homenageado.

Representante discente no Conselho, Vitor Amaral, também relator do processo, lembrou que “Babau foi preso quatro vezes apenas por estar lutando por melhores condições de vida para sua comunidade”. “Ele é uma referência não apenas nacional, mas internacional; ele já foi recebido até pelo papa Francisco, no Vaticano, para falar dos massacres contra as populações indígenas na Bahia e no Brasil”, reforçou.

A iniciativa da Uneb contou o apoio também da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), que, atendendo indicação do então deputado estadual Bira Coroa, encaminhou ofício nesses termos à universidade. “Considero essa decisão um dos atos mais significativos de resgate da nossa identidade social e cultural e de afirmação da nossa própria origem como povo. É uma conquista não apenas para Babau, mas para 23 etnias indígenas na Bahia e as mais de 300 etnias remanescentes do povo brasileiro. Obrigado, universidade!”, afirmou Bira, presente à sessão. Jornal da Chapada com informações de assessoria.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas