Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundoTop
Trending

#Bahia: Agência Nacional de Águas indica aumento da seca em parte do território baiano

A passagem de seca "fraca" para "moderada" indica um agravamento do fenômeno da longa estiagem no estado.

A última atualização do Monitor de Secas, da Agência Nacional de Águas (ANA), indica aumento de áreas atingidas por seca na região oeste da Bahia, que passaram para a categoria de ‘seca moderada’ entre os meses de agosto e setembro. A passagem de seca “fraca” para “moderada” indica um agravamento do fenômeno da seca no estado. Com a mudança na região oeste, a área com registro de “seca moderada”, que representava 17,85% de todo o território baiano, passou para 21,87% do território total do estado.

Entre agosto e setembro, a área com seca na Bahia permaneceu estável no patamar de 68% – menor desde agosto de 2015 (61,7%). O fenômeno aumentou devido à elevação do território com seca considerada ‘moderada’. De acordo com o mapa do Monitor de Secas, setembro teve aumento da seca em 14 de 19 estados brasileiros, entre eles Alagoas, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins.

Segundo o estudo, houve redução de secas somente no Rio Grande do Sul. Outros três estados que passam por forte seca, permaneceram com 100% de seus territórios sob o fenômeno durante o mês de setembro: Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. A Bahia se manteve no patamar de 68% de sua área com seca. O território baiano está entre os estados que tiveram agravamento do fenômeno, junto com o Distrito Federal e Alagoas, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Tocantins.

O Monitor das Secas realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base nos impactos causados em curto ou longo prazo. Os impactos de curto prazo são para déficits de precipitações recentes até seis meses. Acima desse período, os impactos são de longo prazo. Essa ferramenta vem sendo utilizada para auxiliar a execução de políticas públicas de combate à seca e pode ser acessada tanto pela internet quanto pelo aplicativo Monitor de Secas, disponível gratuitamente para dispositivos móveis com os sistemas Android e iOS.

O Monitor abrange as cinco regiões do Brasil, o que inclui os nove estados do Nordeste, os três do Sul, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Tocantins, Goiás, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul. Esse Monitor é coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, com o apoio da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funcem), e desenvolvido junto com diversas instituições estaduais e federais ligadas às áreas de clima e recursos hídricos, que atuam na autoria e validação dos mapas. Jornal da Chapada com informações do G1.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios