Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEconomiaMenu PrincipalTop
Trending

#Chapada: Agronegócio segue prejudicando população de Piatã; moradores voltam a criticar a Hayashi Batatas

“Nossos rios servirão de depósito de agrotóxicos para suprir os interesses privados de uma única empresa, em detrimento de centenas de comunidades que possuem uma relação direta com o Rio de Contas”, afirma morador.

O agronegócio continua prejudicando o Rio de Contas, que corta o município de Piatã, na Chapada Diamantina. A informação foi mais uma vez passada ao Jornal da Chapada por moradores da região. O jornal já realizou uma série de matérias sobre o assunto desde o dia 19 de outubro quando o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) divulgou a portaria nº 21.671 – que concede autorização de desmatamento de vegetação nativa, válida pelo prazo de dois anos à ‘Hayashi Batatas’ para implantação de empreendimento de agricultura irrigada (veja aqui).

Notas de repúdio da população foram publicadas pelo Jornal da Chapada, justificando o prejuízo no entorno de Arie Nascentes do Rio de Contas, Unidade de Conservação Estadual, que fica na região de Piatã. Uma das mais importantes questão para os moradores é que nesse local estão nascentes de três Bacias Hidrográficas (Rio de Contas, Paraguaçu e São Francisco), sendo escolhido para desmatamento de quase mil hectares. Foram registradas pela população atividades com diversas máquinas no local, trabalhando de forma intensa e com consequências negativas. A situação já começou a contaminar o Rio de Contas, como o escoamento das obras para dentro do manancial.

Na última quarta-feira (18), foram publicados em redes sociais mais dados atualizados sobre o assunto, onde registros das atividades da empresa ‘Hayashi Batatas’, como fotos, textos comparativos entre agronegócio e agricultura familiar e mais notas de repúdio às atividades foram expostas. No perfil do Facebook do S.O.S Bacia de Rio de Contas, moradores da região da Chapada Diamantina, continuam a chamar atenção para o caso.

“Já pararam para pensar que essas mesmas comunidades são as que produzem e abastecem as feiras da região com diversidade de alimentos de qualidade? Nossos rios servirão de depósito de agrotóxicos para suprir os interesses privados de uma única empresa, em detrimento de centenas de comunidades que possuem uma relação direta com o Rio de Contas e seus afluentes, tanto para o consumo humano quanto para viabilizar a produção da agricultura de subsistência e familiar. Além de contaminar nossos rios, contaminarão também os lençóis freáticos. Esse é o desenvolvimento que você deseja para a nossa região? Piatã não precisa de agronegócio!”, indaga internauta marcando a rede social oficial do governador Rui Costa (PT).

Este slideshow necessita de JavaScript.

A mobilização da população segue com dados específicos do tamanho das áreas que estão sendo desmatadas para implantação do empreendimento do agronegócio. Ainda segundo internautas, a área chega a “958 campos de futebol de mata nativa sendo desmatados neste exato momento! 958 campos de futebol sendo desmatados na cabeceira do Rio de Contas. 958 campos de futebol sendo desmatados na zona de recarga da maior bacia hidrográfica inteiramente estadual. Tudo isso com o aval do governo do estado e do Inema”, salienta.

O perfil do S.O.S da Bacia do Rio de Contas ainda disponibiliza uma petição com o título ‘Não queremos o agronegócio no Gerais de Piatã/Chapada Diamantina’, que pode ser assinada por quem é contra as atividades na região. Até o momento, 1.571 pessoas já assinaram a petição. A meta do grupo é chegar a duas mil assinaturas. Aqui o link para a petição.

Jornal da Chapada

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios