CidadesCuriosidadesEsportesMenu PrincipalTop
Trending

#Brasil: Grandes ações, por meio de pequenos gestos, fazem a diferença na pandemia de covid-19

Dentre as ações, empatia e solidariedade estão presentes. Confira algumas das atitudes que fizeram a diferença e continuam sendo importantes no enfrentamento dessa crise sanitária.

Pequenos gestos se mostraram grandes ações durante a recuperação de pacientes infectados com a covid-19 ou na vida de muitos brasileiros que estão enfrentando o isolamento social. Dentre as ações, empatia e solidariedade estão presentes. Confira algumas das atitudes que fizeram a diferença e continuam sendo importantes no enfrentamento dessa crise sanitária:

Trompete ao som de clássico de Tom Jobim
O vídeo de um bombeiro, identificado como Elielson dos Santos, de 38 anos, tocando no trompete o clássico “Eu sei que vou te amar”, de Tom Jobim, em uma escada a 50 metros de altura e sendo aplaudido por moradores na quarentena durante a pandemia do coronavírus, viralizou na internet.

O subtenente-músico do Corpo de Bombeiros contou que no momento do vídeo, gravado na Barra da Tijuca na última segunda-feira (30), foi o mais emocionante desde que começaram as ações do Corpo de Bombeiros para levar alegria, em forma de música, durante a pandemia de covid-19.

“A escada começou a descer, e senti o desejo de tocar mais uma música. Então eu toquei “Eu sei que vou te amar”. Enquanto a escada ia descendo, eu ia tocando, as pessoas iam aplaudindo. Eu tive que conter a emoção porque senão eu iria parar de tocar”, relatou ao G1.

A clássica foto da mão acolhida por duas luvas cirúrgicas em um leito de hospital foi e continua sendo bastante compartilhada nas redes sociais | FOTO: Reprodução/Redes Sociais |

‘Mãozinha’ criada por enfermeira
A clássica foto da mão acolhida por duas luvas cirúrgicas em um leito de hospital foi e continua sendo bastante compartilhada nas redes sociais. A ideia surgiu em um momento de desespero da enfermeira Lidiane Melo, de 36 anos. Em um plantão no ano passado, onde vários pacientes estavam dando entrada na emergência de um hospital na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio, ela não conseguia medir a saturação de um paciente.

“A mão dele estava muito fria. Enrolei em algodão ortopédico e atadura, que é uma prática prevista na enfermagem, mas não funcionou. A circulação não melhorava. Pensei em molhar a mão dele com água morna, mas por causa do risco de contaminação, a ideia não era boa. Pensei mais um pouco e coloquei a água morna dentro das luvas cirúrgicas e envolvi na mão dele”, lembrou ao G1.

A tentativa deu certo. Em três minutos, a chamada perfusão do paciente, que é a entrega do sangue nos tecidos do corpo, melhorou. Ela mediu a saturação do oxigênio e encaminhou o tratamento. Além disso, não é só a melhora da circulação sanguínea nas extremidades do corpo que a técnica aplicada por Lidiane resolve, visto que ela também traz conforto psicológico e ajuda a acalmar os pacientes.

Superação dos medos em prol de vacinação
Muitos profissionais de saúde precisaram e continuam necessitando, no meio dessa corrida para vacinação em massa, superar o medo de altura, de barco e outras dificuldades para levar vacina aos locais de difícil acesso. Um desses exemplos é a enfermeira Marquelhe Balieiro, de Santana, no Amapá, que em conjunto com a sua equipe, enfrenta o medo de altura para cumprir sua missão.

São 94,5 mil profissionais da saúde destacados para a vacinação e espalhados por todo o Brasil. Mas o esforço que eles fazem para conseguir acessar locais de difícil acesso nem sempre são destacados, assim como, a superação dos seus medos e dificuldades diárias.

Os palhaços Zóim (Lucas Branco), Sustenildo (Rodrigo Zanetini) e Tranqueira (Renata Maciel) animam o público no ‘Circo Sobre Rodas’ | FOTO: Davi Martins/Rué La Companhia |

Artistas realizaram campanha por oxigênio para Manaus
Inicialmente, Whindersson Nunes convocou Gusttavo Lima e outros artistas para realizar uma campanha para viabilizar oxigênio para Manaus. Essa corrente conseguiu se espalhar, e as aquisições conseguiram salvar a vida de diversos pacientes. O sistema de saúde amazonense entrou em colapso após as internações por Covid-19 no estado baterem recorde. Sobrecarregados, os hospitais ficaram sem oxigênios para pacientes.

Chegaram a ser cenas recorrentes as imagens de médicos transportando cilindros nos próprios carros para levar ao hospital e familiares tentando comprar o insumo. Na ação foram arrecadadas muitas doações, por meio de pix, para materiais hospitalares, que apenas inicialmente conseguiram um valor de 150 cilindros de 50L, de acordo com Whindersson.

Aristas como Simone (dupla de Simaria), Tirulipa, Tatá Werneck, Tierry, Marília Mendonça, Wesley Safadão, Paulo Coelho, Gusttavo Lima, foram alguns dos que entraram nessa corrente do bem.

Espetáculo sobre rodas para levar alegria nas ruas
Diversos espetáculos são realizados para levar alegria aos moradores e pacientes, durante este período de pandemia. Há quem cante, há quem se apresente de alguma outra maneira, bem como há a realização de um espetáculo de palhaços. O espetáculo aconteceu nas ruas de Guarulhos, na Grande São Paulo, e trouxe alegria a moradores em meio à longa pandemia de Covid-19.

Para evitar aglomerações e locais fechados, um trio de artistas criou um show sobre rodas para entreter o público que assistia das janelas, portões e calçadas. A trupe, existente desde 2017, é composta por Lucas Branco, o palhaço Zóim da Rué La Companhia, criadora do projeto, Renata Maciel (palhaça Tranqueira) e Rodrigo Zanetini (músico e palhaço Sustenildo). Jornal da Chapada com informações de Fantástico e G1.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios