Zoo de Salvador é pioneiro na reprodução em cativeiro de Harpias

Postado em jun 10 2014 - 2:30pm por Jornal da Chapada
zoo

No final de março de 2014, as aves reproduziram mais uma vez, e a fêmea botou mais dois ovo | FOTO: Reprodução |

O Parque Zoobotânico Getúlio Vargas conseguiu, no mês de maio deste ano, o sucesso reprodutivo com o nascimento de mais dois filhotes de Harpia, proveniente de casal de recinto de visitação pública. Tratam-se dos primeiros nascimentos registrados em zoológicos no Brasil. Antes deles, em 2012 e 2013, mais dois foram reproduzidos, mas, infelizmente, não sobreviveram ao período de monitoramento. No final de março de 2014, as aves reproduziram mais uma vez, e a fêmea botou mais dois ovos. Com todos os cuidados técnicos necessários, foram organizados plantões noturnos para garantir a segurança dos animais e do próprio recinto.

Em 8 de maio, o nascimento do filhote de harpia aconteceu. Já o segundo filhote só veio a nascer no dia 14. A partir disto, os animais foram retirados dos seus recintos e passaram por cuidados veterinários no Setor do Berçário do Zoo, o que aumentou a chance de vida dos recém-nascidos em 50%. Atualmente, as duas harpias estão sendo monitoradas durante 24 horas.

O coordenador do Parque Zoobotânico, Gerson Norberto, enfatiza a importância do nascimento do animal e da criação de espécies ameaçadas de extinção no Zoológico de Salvador, já que, até o presente momento, ainda não foi registrado a reprodução em recintos de Harpia Harpyja. “O Zoo vem estimulando o aprimoramento de pesquisas, fomentando o desenvolvimento conhecimentos práticos e, em especial, no aumento do sucesso reprodutivo das espécies silvestres brasileiras, com o objetivo de oferecer condições adequadas a projetos de reintrodução e soltura destas espécies em áreas de recuperação ambiental”, disse Norberto.

Harpia
Embora não seja a maior das aves predadoras do planeta, a Harpia é conhecida como a mais forte. A espécie pode medir até 2,30m de envergadura e a fêmea, que é maior que o macho, pode chegar a pesar 9 kg e 90 cm de altura. No Brasil, além de ser encontrada na Floresta Amazônica, esta ave pode ser localizada na Mata Atlântica e no Cerrado, onde os registros são escassos.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.