Rui Costa diz que será governador de uma nova Bahia

rui costa

O candidato do PT ao governo da Bahia, durante entrevista na Rede Bahia | FOTO: Divulgação |

O candidato pela coligação Pra Bahia Mudar Mais abriu a série de entrevista da TV Bahia com os candidatos ao governo do estado, na noite dessa segunda-feira (18). Rui disse que será o governador de uma nova Bahia, moderna, com estrutura e cheia de oportunidades. Questionado sobre os problemas de violência que envolve policiais, Rui afirmou que é preciso cada vez mais investir na capacitação e treinamento e os policiais que cometem delitos devem ser investigados e julgados para se fazer justiça.

“Criarei corregedorias para as policiais civil e militar, porque queremos uma polícia cidadã. Temos que separar o joio do trigo, porque existem muitos profissionais que são pais de família e trabalham com dedicação e comprometimento para prevenir e solucionar crimes”. Quanto questionado sobre a greve de 72 horas da Polícia Civil, pela morte de policiais ele lembrou que o problema, infelizmente, ocorre em todo o país, não só na Bahia, porém pretende propor a criação de um Fundo Nacional de Segurança. “Precisamos de uma estratégia nacional de segurança”. O candidato lembrou os investimentos feitos na gestão do governador Jaques Wagner, que encontrou o setor completamente sucateado.

“Quando Wagner assumiu, mais de 50 cidades não tinham viaturas e o efetivo usava o velho revolver 38”, citou. “Vou criar o Bope, implantar três companhias especializadas, instalar cinco unidades do Grupamento Aéreo, fortalecer e avançar na melhoria das condições de trabalho”. Na área da Saúde, o petista apresentou a proposta de regionalização do atendimento, para o cidadão ter acesso a exames e especialidades médicas próximo do local onde mora. “Vou construir sete hospitais com capacidade para resolver problemas, fazer cirurgias e tratamentos de ortopedia, oncologia, por exemplo. Em quatro anos todas as regiões da Bahia estarão com capacidade para atender as demandas na área”.

Rui explicou que a Bahia precisa de obras estruturantes, como a Ponte Salvador Itaparica. Segundo ele, o estado ficou muitos anos sem grandes obras e os projetos em andamento estão tirando mais de 50 anos de atraso. “A Ferrovia Oeste-Leste, planejada há meio século, não encontrou nenhum governante que tivesse garra ou coragem de fazê-la. A Bahia precisa avançar. Vejam o metrô? Ficou 14 anos parado e nós, em um ano, colocamos para funcionar”, exemplificou. “Vou terminar todas as obras que estão iniciadas e avançar mais construindo aeroportos e infraestrutura necessária para a Bahia crescer mais”.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.