CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolítica

Ajuste fiscal não vai prejudicar compra de caças suecos, afirma Jaques Wagner

wagner
Jaques Wagner: parceria com os suecos prevê desembolso brasileiro “muito pequeno” para 2015 | FOTO: José Cruz/Arquivo/Agência Brasil |

O ministro da Defesa, Jaques Wagner, afirmou nesta terça-feira (14), em evento no Rio de Janeiro, que um possível contingenciamento de recursos do orçamento previsto para este ano não vai prejudicar a parceria do Brasil com a Suécia para a fabricação de 36 aviões caça no Brasil com tecnologia sueca. Wagner afirmou que a parceria com os suecos prevê desembolso brasileiro “muito pequeno” para 2015. “O desembolso do orçamento da União, este ano, é de aproximadamente de R$ 18 milhões de reais e nossos esforços são para a assinatura do contrato de financiamento, que será pago no médio e no longo prazo, e dará sustentação a todo esse desenvolvimento”. O financiamento será feito pela empresa sueca na ordem de cerca de R$ 1 bilhão, segundo ele.

A compra dos caças da empresa Grippen/Saab para equipar a Força Aérea Brasileira (FAB) prevê também transferência de tecnologia. “Quinze dessas aeronaves devem ser fabricadas integralmente no Brasil e o restante será fabricada metade na Suécia e metade aqui e o horizonte que temos é de ser um polo exportador”, reiterou ele. Mais de 280 engenheiros brasileiro vão à Suécia para a capacitação e aprendizado da tecnologia dos aviões. O primeiro avião deve ficar pronto em 2019.

Ele comentou ainda sobre as suspeitas de irregularidades na licitação de equipamentos do modelo que será fabricado no Brasil que está sendo investigado pelo Ministério Público. “Qualquer suspeita que se levante será apurada”, comentou ele. “Mas não nos cabe a ingenuidade. Existe uma disputa comercial muito forte em torno desse contrato, existem interesses estratégicos. Então, há um contexto em torno dessa assinatura com o Grippen que movimenta paixões e interesses comerciais”, comentou ele.

O contrato de aquisição das aeronaves foi firmado em outubro de 2014. Além das 36 aeronaves, o contrato inclui apoio e suporte logístico, simuladores de voo e sistemas embarcados (como radar, Wide Area Display – WAD, guerra eletrônica). O valor do contrato é de US$ 4.6 bilhões. Da Agência Brasil.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios