Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEconomiaMenu Principal

Desemprego na Região Metropolitana de Salvador cresce com redução do nível de ocupação

foto6
No mês de março houve um crescimento no agregado em outras posições ocupacionais, que inclui empregadores, trabalhadores familiares e donos de negócio familiar | FOTO: Guilherme Silva |

A taxa de desemprego total da Região Metropolitana de Salvador (RMS) cresceu em março de 2016, passando de 20,2%, em fevereiro, para 21,3% da População Economicamente Ativa (PEA). Segundo suas componentes, a taxa de desemprego aberto aumentou de 14,2% para 15,2%, e a de desemprego oculto oscilou de 6,0% para 6,1%. Informações são da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMS), divulgada nesta quarta-feira 27, na Sala de Reuniões da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) pelos técnicos Frederico Fernandes (Observatório do Trabalho da Bahia – Setre); Ana Margaret Simões (Dieese); Ana Maria Guerreiro, Luiz Chateaubriand dos Santos e Áurea Ísis de Lima (SEI).

Reduções
Na pesquisa do Governo do Estado, o contingente de desempregados foi estimado em 395 mil pessoas, 18 mil a mais em relação ao mês anterior. “Este resultado decorreu das reduções no nível de ocupação (32 mil postos de trabalho) e na População Economicamente Ativa − PEA (–14 mil)”, afirma Frederico Fernandes (Observatório do Trabalho da Bahia). Ainda segundo Fernandes, “a taxa de participação – indicador que estabelece a proporção de pessoas com 10 anos ou mais presentes no mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas – diminuiu de 56,9% para 56,4%, no período em análise”.

Representante do Dieese, Ana Margaret Simões disse que em março o contingente de ocupados teve redução de 2,1%, ficando estimado em 1.457 mil pessoas. “Houve um decréscimo no setor de Serviços (26 mil ou 2,7%), na Construção (5 mil ou 3,9%) e na Indústria de Transformação (4 mil ou 3,5%). O Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas ficou relativamente estável (+1 mil ou +0,4%)”, relata.

Declínio
Técnico da SEI, Luis Chateaubriand dos Santos informa que “o contingente de trabalhadores assalariados reduziu (30 mil ou 2,9%), em decorrência do declínio da ocupação no setor privado (7 mil ou 0,8%). E, em maior proporção, no setor público (22 mil postos ou 15,0%). Também no setor privado, registrou-se uma relativa estabilidade entre os trabalhadores com carteira assinada (-2 mil ou -0,3%) e redução entre aqueles sem carteira assinada (5 mil ou 5,1%)”, esclarece.

Para Ana Maria Guerreiro (SEI) “houve no mês de março um crescimento no agregado em outras posições ocupacionais, que inclui empregadores, trabalhadores familiares e donos de negócio familiar, entre outros (6 mil ou 9,0%). Estabilidade no contingente de trabalhadores autônomos (-1 mil ou -0,4%), e declínio do contingente de empregados domésticos (7 mil ou 5,7%)”, finaliza.

A pesquisa do mercado de trabalho na Região Metropolitana de Salvador (PED-RMS) é realizada, mensalmente, pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) em parceria com a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre); Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese); e Fundação Seade do Estado de São Paulo, com apoio do MTE/FAT.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios