#Salvador: Festival Radioca tem segunda edição nos dias 3 e 4 de dezembro

Postado em nov 30 2016 - 2:22pm por Jornal da Chapada
capa

Um dos objetivos do Radioca é trazer trabalhos inéditos para a cidade | FOTO: Montagem do JC/Divulgação |

Música brasileira contemporânea em sua diversidade de estilos, feira de produtos criativos e debates: este é o mix que compõe o Festival Radioca, que, em sua segunda edição, acontece nos dias 3 e 4 de dezembro, às 16h, reunindo oito atrações musicais de várias partes do país no Trapiche Barnabé, no Comércio, em Salvador. Originado do programa de rádio de mesmo nome, que leva para a Educadora FM novidades da música brasileira independente, sem apostar em apenas um único estilo, o festival prima igualmente pela diversidade e se consolida como espaço de encontro entre o público baiano e a produção independente.

Para formar esse “colorido de sonoridades”, estão na programação nomes como Giovanni Cidreira (BA), com sua mistura de MPB setentista, soul music e indie rock, e a sonoridade universal de Josyara (BA), fortemente influenciada por ritmos tradicionais brasileiros, ambos de uma safra recente da música baiana. A surf music dos Retrofoguetes (BA), banda instrumental que mistura tango, mambo, jazz, polca, bossa nova, cinema e quadrinhos, completa o time da casa.

Um dos objetivos do Radioca é trazer trabalhos inéditos para a cidade, caso de “Selvática”, disco mais recente de Karina Buhr (PE), que não teve apresentações em Salvador, e da banda Carne Doce (GO), que ainda não foi vista por aqui, dois trabalhos com fortes discursos feministas. Outra atração inédita é a big band Aláfia (SP), com seu rap-funk-de-terreiro e suas letras que expõem tensões e contradições da sociedade contemporânea. Completam o line-up dois veteranos cujos trabalhos soam atualíssimos.

O sempre vanguardista Jards Macalé apresenta clássicos do seu repertório e músicas raras gravadas nos anos 1970. Dona Onete (PA), que aos 76 anos é a musa da música paraense contemporânea, traz seu carimbó chamegado, cheio de sensualidade. “Acreditamos que o Brasil vive um ótimo momento na música, com uma produção fértil e criativa. Tentamos trazer nomes que achamos relevantes e que tenham trabalhos interessantes”, explica o jornalista Luciano Matos, que divide a curadoria com os músicos Roberto Barreto (BaianaSystem) e Ronei Jorge, apresentadores do programa de rádio e profissionais atuantes no cenário da música independente nacional.

Além das apresentações musicais, artes visuais, moda, design, decoração, música, cosméticos, culinária e afins estarão reunidos na edição especial do Mercadilho, projeto criado pela artista Andrea May, que articula criatividade e ações colaborativas para fazer circular o trabalho de criadores de várias partes da Bahia. No festival, serão 16 expositores, com destaque para criações inspiradas na música. Com informações de Assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.