#Bahia: ‘Dia mais difícil da vida’, diz Marcelo Nilo ao negar acusações que gerou ação da PF

Postado em set 13 2017 - 3:20pm por Jornal da Chapada
foto56

O deputado estadual e ex-presidente da Assembleia, Marcelo Nilo | FOTO: Reprodução |

Durante sessão desta quarta-feira (13), da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado estadual Marcelo Nilo (PSL) negou as acusações feitas no processo que gerou a operação Opinião, da Polícia Federal (PF), deflagrada nesta sexta-feira (leia no site). O ex-presidente da Casa é suspeito de controlar a empresa Bahia Pesquisa e Estatística LTDA (Babesp), o famigerado DataNilo, que realiza pesquisas eleitorais – haveria evidências de que a companhia foi utilizada para receber recursos de Caixa 2.

Em pronunciamento feito no início da sessão desta tarde, Nilo disse que a ação surgiu na campanha de 2014, quando o então candidato ao governo Paulo Souto denunciou que o deputado seria o real dono do instituto e manipulava os resultados. “Manipulava? Se a Babesp acertou? Os sócios são meus amigos, conhecidos a muitos e muitos anos. E esse processo, inicialmente foi arquivado pela Justiça, depois abriram um processo criminal”, questionou.

“É inacreditável que nós parlamentares passemos por situações vexatórias, constrangedoras. Nada na vida vai reparar o que eu passei hoje. Porque pra mim… perdi meu pai, perdi minha mãe, perdi meu irmão, mas hoje é o dia mais difícil da minha vida. É um dia que marcou um homem de 62 anos de idade”, lamentou. Nilo ainda criticou o fato da equipe de reportagem da TV Bahia estar em frente à sua casa antes que ele soubesse que haveria a operação. “Não quero acusar A ou B, só quero que cada parlamentar analise o porquê dessa ação policial”.

O ex-presidente da Alba disse que ele chegou a solicitar uma audiência com a Justiça Federal, mas o juiz só marcou o encontro para o próximo dia 20, quando ele imaginou que o processo continuaria. “Repito em alto e bom som: a Babesp não é do deputado Marcelo Nilo. Não sou proprietário, eu sou cliente, como muitos deputados foram clientes, porque o instituto começou a acertar mais do que institutos famosos, e consequentemente começou a consolidar a demanda.

O deputado falou ainda que vai continuar com a “cabeça erguida”, mas que a situação o deixou “marcado”. “Nunca imaginei chegar onde cheguei, nunca imaginei sentar nessa cadeira de presidente, na cadeira de governador do estado, ser o deputado mais bem votado da Bahia, e passo pelo constrangimento de ver minha residência às 6h com delegados e policiais pra fazer busca e apreensão. Eles foram muito educados, muito gentis, mas deixaram marca profunda no meu coração”. Após o discurso, vários deputados pediram a palavra para apoiar Nilo. Após o discurso, vários deputados pediram a palavra para apoiar Nilo. As informações são do Bahia Notícias.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.