#Bahia: Festa de música eletrônica é cancelada após operação policial; 15 pessoas são detidas

Postado em jun 11 2018 - 2:11pm por Jornal da Chapada
rave

Ao menos 15 pessoas foram detidas com drogas, sendo 78 comprimidos de ecstasy além de porções de cocaína, LSD e maconha | FOTO: Divulgação | 

A rave ‘Aurora’, que começou na noite do último sábado (9) foi encerrada na madrugada do domingo (10) após operação conjunta das polícias Civil e Militar, e a prefeitura de Camaçari, município na região metropolitana de Salvador onde acontecia o evento. Cerca de 15 pessoas foram detidas com drogas, sendo 78 comprimidos de ecstasy além de porções de cocaína, LSD e maconha. As informações são da delegada Daniele Monteiro, titular da delegacia de Abrantes, distrito do município.

“A operação, batizada de ‘Aurora’, foi montada porque a festa não tinha autorização nenhuma para acontecer. Nós acompanhamos os funcionários da prefeitura, que interditaram o local”, disse a delegada. De acordo com a prefeitura de Camaçari, o alvará para realização da festa não foi liberado por causa das ocorrências que envolveram a rave em edições anteriores. A autorização chegou a ser solicitada pela organização do evento e negada pela administração municipal, mas ainda assim a festa Aurora não foi cancelada.

A ‘Aurora’ é a mesma festa que um jovem de 22 anos desapareceu após ter um surto por uso de drogas sintéticas durante o evento. Ele ficou perdido no meio do mato por seis dias, bebeu água da chuva e se alimentou de frutas e até de formigas para sobreviver. Na mesma festa, um turista de São Paulo morreu após um mal-estar e outro jovem foi picado por uma jararaca.

Segundo Daniele Monteiro, das 15 pessoas detidas com drogas, 10 foram considerados usuários e, depois do depoimento, liberados após assinatura do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Outras cinco pessoas permanecem presas por tráfico de drogas. “Ecstasy e LSD líquido foram apreendidos. Tinha uma grande quantidade de drogas. Estamos fazendo o levantamento de tudo ainda. Cerca de 50 policiais, entre civis e militares, participaram da operação”, disse a delegada. A operação chegou na festa por volta de 1h.

Em um comunicado divulgado no perfil oficial da festa, por volta das 2h, informou que o evento foi cancelado “por motivos de força maior” e que “depois haverá um comunicado oficial com maiores informações”. Diversos seguidores criticaram a organização da festa na postagem e pedem o dinheiro de volta. O 5º lote da festa foi vendido a R$ 130, o ingresso simples, e R$ 220, o duplo. O G1 não conseguiu contato com a produção da festa. As informações são do G1BA.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.