#Brasil: Bolsonaro exonera o ministro da Educação e anuncia sucessor pelas redes sociais

Postado em abr 8 2019 - 12:00pm por Jornal da Chapada

Vélez esteve nesta segunda no Palácio do Planalto em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e deixou o local pela saída privativa | FOTO: Divulgação |

O presidente Jair Bolsonaro exonerou nesta segunda (8) o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, e anunciou o professor Abraham Weintraub para o cargo. “Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter.

Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Weintraub é mestre em administração pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Executivo do mercado financeiro, atuou no grupo Votorantim e foi membro do comitê de Trading da BM&FBovespa. Em 2016, coordenou a apresentação de uma proposta alternativa de reforma da previdência social formulada pelos professores da Unifesp. Weintraub atua como secretário-executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni. Ele assumirá o lugar do colombiano Ricardo Vélez.

“Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados”, acrescentou o presidente. Vélez esteve nesta segunda (8) pela manhã no Palácio do Planalto em reunião com o presidente Jair Bolsonaro e deixou o local pela saída privativa, sem falar com a imprensa.

A saída de Vélez é a segunda baixa no ministério em pouco mais de três meses de governo. Em fevereiro, Gustavo Bebianno (Secretaria-Geral da Presidência) foi demitido após entrar em rota de colisão com o vereador carioca Carlos Bolsonaro, filho do presidente.

Abraham Weintraub, novo ministro da Educação de Bolsonaro | FOTO: Rafael Carvalho/Casa Civil |

Neste mesmo período, o MEC já registrou nada menos que 17 baixas em cargos de alto escalão. Sob o comando de Vélez, o ministério tornou-se o epicentro de um pandemônio no governo federal, com brigas ideológicas e projetos emperrados. Enfraquecido, Vélez passou a ser bombardeado por evangélicos, militares e partidos políticos.

Com a demissão iminente, o escritor Olavo de Carvalho, “guru” do governo Bolsonaro e a quem é reputada a indicação de Vélez Rodriguez, virou-se contra o ministro: “Não vou fazer nada contra ele, mas garanto que não vou lamentar se o botarem para fora do ministério”, escreveu.Com informações da Agência Brasil e da Veja.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.