Chapada: Mulher natural de Itaberaba morreu com o filho no desabamento de prédios no Rio de Janeiro

Publicidade
Postado em abr 16 2019 - 3:43pm por Jornal da Chapada

Zenilda Bispo Amorim e o filho Juan Amorim Rodrigues morreram na tragédia de Muzema no Rio de Janeiro; eles moravam há um ano na comunidade | FOTO: Montagem do JC/Facebook |

A diarista baiana que morreu com o filho no desabamento de dois prédios na comunidade de Muzema, Zona Oeste do Rio de Janeiro, morava na região há apenas um ano, segundo informações divulgadas na última segunda-feira (15) pelo ex-companheiro dela e pai do menino. Zenilda Bispo Amorim tinha 38 anos, e o filho, Juan Amorim Rodrigues, tinha 10 anos. Eles foram encontrados praticamente ao mesmo tempo, no último sábado (13) à noite, mais de 24h após a tragédia.

Os prédios desabaram na manhã da última sexta-feira (12). Além de Zenilda e do filho, outras 14 pessoas morreram e nove ainda estão desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros. A diarista é natural de Itaberaba, na Chapada Diamantina, mas, segundo informações de familiares, morava no Rio de Janeiro há mais de 20 anos. Ela foi para a cidade para ficar com o ex-companheiro, que se mudou para procurar trabalho e acabou se firmando.

O casal estava separado desde o ano passado. O ex-companheiro de Zenilda voltou para a Bahia com um dos filhos do casal, de 15 anos. Já Juan ficou com a mãe, na cidade onde nasceu. Eles foram enterrados nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro. Não há detalhes sobre o sepultamento. As informações são do G1.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.