CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolítica
Trending

#Polêmica: Bolsonaro publica MP que autoriza empresários a suspenderem contrato de trabalho por quatro meses

A iniciativa visa beneficiar empresários durante a pandemia do coronavírus, que culminou com fechamento de uma série de postos de trabalho.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) continua indo na contramão da pandemia que ameaça o mundo e agora o Brasil. Na noite do último domingo (22), o presidente da República publicou em edição extra do Diário Oficial, uma Medida Provisória (MP) que autoriza a suspensão do Contrato de Trabalho por até quatro meses. A iniciativa visa beneficiar empresários durante a pandemia do coronavírus, que culminou com fechamento de uma série de postos de trabalho.

Nesta segunda, após pressão, o presidente tentou minimizar a situação com a revogação do artigo 18 da MP 927/2020, mas isso, por si só não é o suficiente, porque mantém o trabalho em condições insalubres, suspensão da fiscalização e outras medidas. Além do mais, só se pode revogar uma MP com outra MP, ou por outra Lei aprovada pelo Congresso Nacional. Enquanto isso não acontecer tem vigência e pode ser aplicado, conforme advogado consultado pelo Jornal da Chapada.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o empregado deixa de trabalhar, assim como o empregador não pagará salário. O medida aproxima a população brasileira da música ‘O Dia Em Que a Terra Parou’, do saudoso e visionário Raul Seixas. No contesto, a empresa é obrigada a oferecer curso de qualificação online ao trabalhador e a manter benefícios, como plano de saúde. A MP aponta que o curso ou o programa de qualificação profissional online será promovido pelo empregador, diretamente ou por meio de entidades responsáveis pela qualificação.

Ainda segundo o texto, a negociação individual ficará acima de acordos coletivos e da Lei Trabalhista. No entanto, estão preservados os direitos previstos na Constituição Federal. A medida tem força de Lei pelo período de 60 dias, prorrogáveis pelo mesmo prazo, até que seja apreciada pelo Congresso Nacional. Se não for votada, perde a validade. Porém, ela já começa a entrar em vigor desde que foi publicada, durante o estado de calamidade pública em razão do coronavírus, com prazo definido até o fim deste ano.

“O empregador poderá conceder uma ajuda compensatória mensal, sem natureza salarial, com valor definido livremente entre empregado e empregador, via negociação individual”. Diz também, que para o contrato ser suspenso bastará acordo individual com o empregado ou também com um grupo de empregados. A suspensão terá de ser registrada em Carteira de Trabalho.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas