CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúdeTop
Trending

#Brasil: Pesquisa relaciona tipos de sanguíneos a riscos a mais de mil doenças; saiba mais sobre o assunto

Pesquisadores decidiram investigar qual é o papel do tipo sanguíneo na identificação de predisposição à doenças.

Identificar quais pessoas têm predisposição a desenvolver determinadas doenças auxilia profissionais a entenderem a evolução de enfermidades e melhorar a detecção e o tratamento destinado aos pacientes. Com isso, pesquisadores suecos decidiram investigar qual é o papel do tipo sanguíneo nesse contexto e publicaram o estudo no dia 27 de abril, no periódico ‘eLife’.

Por meio do estudo, foi possível confirmar algumas conclusões de trabalhos anteriores, além de revelar novas informações. Com base nos dados de cinco milhões de habitantes da Suécia, especialistas analisaram as relações entre os tipos sanguíneos ABO, os grupos Rh positivo e Rh negativo e 1.217 doenças.

A pesquisa foi conduzida por profissionais do Instituto Karolinska e da Universidade de Lund e mostra que 49 enfermidades estão ligadas à classificação ABO, enquanto apenas uma está associada ao sistema Rh (que diz respeito à presença ou à ausência do antígeno D).

As descobertas indicam que indivíduos com sangue B têm menor risco de desenvolver pedras nos rins e que as mulheres Rh positivo são mais propensas a passarem pela hipertensão induzida pela gravidez. Além disso, os resultados servem para confirmar algumas constatações feitas por pesquisas anteriores, como a maior probabilidade de desenvolver coágulos sanguíneos no caso das pessoas com sangue tipo A.

O estudo também mostra que indivíduos com sangue O podem estar mais sujeitos a problemas de sangramento e que as mulheres com esse tipo sanguíneo têm maior chance de apresentar hipertensão gestacional. “Ainda há pouca informação disponível sobre a probabilidade de pessoas com Rh positivo e Rh negativo estarem sob maior risco de desenvolverem certas doenças, ou sobre quantas enfermidades são afetadas pelo tipo sanguíneo”, afirma, em nota, Torsten Dahlén, autor principal do estudo.

Logo, os pesquisadores ressaltam que mais trabalhos são necessários para confirmar os novos resultados obtidos e para determinar com maior precisão como o tipo sanguíneo pode aumentar o risco de algumas doenças, ou se há alguma explicação alternativa para as relações observadas. Jornal da Chapada com informações de Galileu.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios