Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Meu governo não consegue falar com a sociedade, diz o senador Walter Pinheiro

pinheiro
O senador baiano Walter Pinheiro | FOTO: Reprodução |

Conhecido por dar declarações complicadas em momentos ruins do PT, o senador baiano Walter Pinheiro voltou a mostrar pouca confiança em seu partido após as manifestações populares ontem (15) por todo o país. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, ele lamentou o fato de o governo não conseguir dialogar com o povo e criticou a fala de um ministro em anonimato ao jornal. O ministro teria dito, segundo a Folha, que “a PM está inflando esses números” e que na manifestação de ontem na Avenida Paulista não havia “povão”, mas a classe média que votou em Aécio Neves (PSDB).

Segundo Pinheiro, este ministro deveria “se preocupar com o recado, não importa de quem veio”. “Tem uma frase dizendo que a polícia inflou. Pelo amor de Deus, acreditar que um ministro pense isso. Eu lamento que um ministro tenha dito isso. Ao invés de ficar preocupado se tinha 10 ou 10 mil, pois não devia se preocupar com a quantidade, deveria se preocupar com o recado, não importa de quem veio”, disse o senador.

Para Walter Pinheiro, as manifestações, que levaram milhares de pessoas às ruas em diversas cidades não se tratavam de um “terceiro turno”, mas, sim, “a continuidade de um recado que vem desde a eleição” de 2014.

“Temos que parar e olhar para trás para ter capacidade e coragem de falar dos erros. Vou ficar avaliando se a manifestação é de classe baixa, de media, de alta? Nós não ganhamos a eleição com essa margem folgada na sociedade. Nós tivemos um recado na eleição. Pelo amor de Deus. Não é o problema com o Congresso, é com a sociedade. É com isso que estou preocupado. O meu governo não consegue falar com a sociedade, meu Deus!”. Extraído do Bahia 247.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios