CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolícia

Brasil: PMs do Rio do Janeiro envolvidos em morte e farsa processual serão expulsos

foto5
Um dos policiais dá um tiro para o alto e logo depois outro policial pega uma arma, coloca na mão do jovem e dá dois tiros para o alto | FOTO: Reprodução |

O Secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, Mariano Beltrame, disse nesta quinta (1º) que vai exigir agilidade no processo de expulsão dos cinco policiais militares envolvidos na morte de Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, ocorrida no Morro da Providência, na terça-feira (29). Os policias, que integram uma unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da região, foram filmados por moradores colocando uma arma na mão de Eduardo, já baleado e estendido no chão, modificando a cena do crime.

“Não há outro tipo de alternativa e de atitude a ser tomada a não ser colocá-los na rua de maneira rápida, através de um processo administrativo disciplinar”, declarou ele na manhã desta quinta-feira, em evento público na capital fluminense. “Essas pessoas não são dignas de participar de um programa [UPP] que está salvando vidas”.

O chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, informou que as divisões de homicídios passarão a analisar todos os autos de resistência no estado. A mudança, entretanto, será gradual. “A delegacia de homicídio hoje não assume esse tipo de ocorrência. Precisamos ainda ver a estrutura necessária para fazer isso, para não comprometer o padrão de trabalho da delegacia”, explicou Veloso, ao mencionar a necessidade de mais contratações na corporação. “Tão logo tenhamos um quadro mínimo necessário para a delegacia de homicídios assumir isso, todas as divisões vão cuidar dessas ocorrências e acho que isso será um diferencial”.

A Justiça decretou na quarta (30) a prisão preventiva dos cinco PMs, que estão no Batalhão Especial de Polícia e vão responder por farsa processual. Moradores fizeram protestos na noite de terça-feira e na manhã de ontem na entrada do morro e também durante o enterro do jovem, no cemitério São João Batista. A PM reforçou o policiamento na comunidade.

Anista Internacional
A Anistia Internacional comemorou o anúncio de Veloso, por atender uma das principais demandas da campanha pela erradicação da prática de execuções extrajudiciais pela polícia e pela busca da justiça, com a responsabilização adequada por tais crimes. “A mudança estrutural na gestão da segurança pública é importante, mas precisamos de prazos claros e compromissos de investimentos de recursos humanos, financeiros e técnicos para garantir que a Divisão de Homicídios possa assumir e cumprir tal tarefa com agilidade e transparência”, declarou, por meio de nota, a assessora de Direitos Humanos da Anistia Internacional, Renata Neder.

A entidade ressaltou que a iniciativa ocorre dois meses após o lançamento do relatório Você matou meu filho: homicídios cometidos pela Polícia Militar na cidade do Rio de Janeiro. O relatório expõe o modus operandi de parte dos policiais, que abusam da força letal e manipulam as cenas dos crimes na tentativa de culpar a vítima por sua própria morte violenta, o que compromete as investigações e alimenta o ciclo de violência e impunidade. Da Agência Brasil.

Confira vídeo da fraude:

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas