Notice: Undefined variable: post_id in /usr/share/nginx/www/wp-content/plugins/ifacebook-thumb-fixer/output-logic.php on line 4
CidadesCuriosidadesEsportesMenu Principal

Belezas da Chapada Diamantina são destaque em site canadense

foto67
São relatadas características topográficas e históricas do Parque Nacional da Chapada Diamantina | FOTO: Reprodução/Photo Thinkstock |

O site jornalístico La Presse, do Canadá, publicou na última terça-feira (19) uma matéria sobre a Chapada Diamantina, tratando-a como “o diamante verde dos caminhantes”. O texto em francês fala sobre a aventura do repórter em Palmeiras, município da região. São relatadas características topográficas e históricas do Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Segundo o site, “a vastidão da antiga cadeia de montanhas de 1,6 bilhões de anos é revelado para nós. Lenta mas seguramente, a ação da água tem esculpido vales estreitos, tornou-se o santuário do jaguar, tatu-canastra, tamanduá. Isso significa que desses castelos de rocha distantes nasce a vida, reduzindo a nossa existência para o que é: uma poeira no cosmos”.

Confira a reportagem completa aqui

capa

Veja a matéria traduzida por aplicativo:

Chapada Diamantina, caminhantes diamante verde

(Palmeiras, Brasil) Depois de um trabalho longo e paciente, o nosso pequeno grupo de caminhantes atinge um promontório rochoso. Do outro lado do vale, imponentes montanhas tabela subir, majestoso e enigmática. Todo mundo tem uma respiração profunda, agarrou pelo maravilhoso espetáculo da natureza. Abaixo, um cordão de terra fina é perdido no horizonte, convidando-nos a continuar a explorar o Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Difícil não se apaixonar com a região centro-leste do Brasil. A beleza deste território igualou o prazer de descobrir sua topografia acidentada. Montanhas com escarpas semelhantes a cidadelas antigos alternar com vales verdejantes com árvores floridas, caminho aleatório, caminhantes perceber quedas vertiginosas e cavernas no fascínio mágico. Impressão de pôr o pé no país das maravilhas é total.

O conto de fadas poderia ter tomado outro rumo. Até a sua criação em 1985, o parque tinha muitas aldeias dos cafeicultores cuja atividade estava ameaçando seus ecossistemas frágeis. Não foi até o colapso dos preços de grãos e a intervenção do Estado para preservar uma fração desta joia que deve o seu nome às importantes veias de diamante que se encontram sob o solo.

Um paraíso para caminhadas
Em uma área semelhante à do Parc National du Mont-Tremblant – 1.521 km² – o Diamantina Parque Chapada serve perfeitamente para as expedições a pé. Todos os dias, o povoado de Capão hospeda a sua quota de caminhantes que querem contemplar o Vale do Pati, uma parte do parque conhecida por suas paisagens espetaculares. “Esta rota é provavelmente o que é melhor em termos de migração no Brasil,” diz Claude Samuel, diretor da agência de ecoturismo Tatu na Trilha.

O original em francês, que viajou do continente sul-americano, caiu sob o encanto da natureza Chapada Diamantina, onde ele estabeleceu uma das primeiras agências de seu tipo na região há 25 anos. Sob os cuidados do nosso guia, o nosso grupo francófono pequena começa uma viagem de 55 km, que vai ser rico em maravilhas. Tendo forded um riacho, uma primeira ascensão sob a cobertura das aguarda Mata Atlântica. Assim que chegou em um vasto planalto habitado por arbustos e cactos, nós compreender a importância das belezas naturais da região, mas também do que ainda precisa ser feito!

A vastidão da antiga cadeia de montanhas de 1,6 bilhões de anos é revelado para nós. Lenta mas seguramente, a ação da água tem esculpido vales estreitos, tornou-se o santuário do jaguar, tatu-canastra, tamanduá e o bugio. Isso significa que esses castelos rocha distantes nasce a vida, reduzindo a nossa existência para o que é: uma poeira no cosmos. Só na estepe, nós avançar o coração alegre, com a única música do vento que varre a grama.

Uma caminhada na Chapada Diamantina é uma oportunidade para fugir da cidade para melhor atender. A atração para as distrações da vida moderna desaparece por magia para os prazeres simples de respirar o ar fresco da montanha ou mergulhar na água gelada de uma cachoeira.

No final da tarde, os pés e o chão para trás, nós deixamos cair o nosso saco em uma casa de família. Bêbado de cansaço, mas feliz como reis, nós compartilhamos uma refeição saudável sob um belo céu estrelado, antes de entrar em colapso em uma cama macia. Outro dia agitado pela frente amanhã.

O que ver?
O exterior do parque nacional tem muitos sítios naturais a não perder, como o Poço Azul, uma caverna com águas cristalinas onde a luz solar vem criar um show de sonho. Para uma visão panorâmica da área, subir o Morro do Pai Inácio, 1120 m de altura e facilmente acessível a partir da estrada 242. Os pontos de interesse estão longe um do outro, muitas agências de Lençóis e Palmeiras passeios de um dia de oferta motorizados.

O guia, sem parque
Embora a maioria dos visitantes manter os serviços de um guia, é possível se aventurar sozinha no parque desde que tenha o tempo à frente. Na ausência de sinais, os caminhantes devem trazer um mapa da trilha e uma bússola. Além disso, os regulamentos do parque de campismo proibir e iluminação incêndios.

Como chegar lá?
Bus, Real Expresso/Rápido Federal organiza quatro saídas diárias para a Chapada Diamantina partem Salvador. Contagem de sete horas para chegar a Lençóis e oito horas para o Palmeiras. A partir desta cidade, chega-se ao povoado de Capão Dolmus por má estrada de terra. A companhia aérea Azul oferece ligação Salvador-Tanquinho (60 km de Lençóis) duas vezes por semana.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas