Balé Folclórico da Bahia faz apresentação única em Santo Amaro no dia 26 de novembro

Postado em nov 11 2016 - 2:22pm por Jornal da Chapada
santos

Espetáculo integra a turnê Nordeste da única companhia profissional de dança folclórica do país em atividade | FOTO: Wendell Wagner |

A cidade de Santo Amaro, na região do Recôncavo Baiano, vai receber, pela primeira vez, o premiado Balé Folclórico da Bahia (BFB), única companhia profissional de dança folclórica do país em atividade, no fim de novembro. O Balé vai apresentar o espetáculo “Herança Sagrada – A Corte de Oxalá”, no próximo dia 26, às 20 horas, no Teatro Dona Canô. O espetáculo integra o início da turnê Nordeste do grupo com o patrocínio de “O Boticário na Dança” e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. A nova etapa da turnê inclui ainda uma apresentação em Aracaju em data a ser definida.

O espetáculo, que já foi aplaudido nos Estados Unidos, Europa, Caribe, Oceania e África, conta com direção geral de Walson (Vavá) Botelho e direção artística de José Carlos Santos (Zebrinha). Em “Herança Sagrada”, os bailarinos reproduzem com fidelidade sequências de movimentos de alguns dos mais importantes rituais do Candomblé, numa coreografia baseada em danças do culto afro-brasileiro. No palco, 26 bailarinos, músicos e cantores apresentam movimentos vibrantes e sonoridade arrebatadora. A segunda parte do espetáculo reúne coreografias clássicas do repertório do Balé, que traduzem as mais importantes manifestações folclóricas baianas, em “Puxada de Rede”, “Capoeira” e “Samba de Roda”, além de “Afixirê”, coreografia inspirada na influência dos escravos africanos na cultura brasileira.

“A turnê está alinhada com o nosso objetivo de tornar o Balé, que já é consagrado internacionalmente, conhecido pelos brasileiros”, afirma Vavá Botelho, fundador e diretor geral da companhia. O Balé arrebatou a admiração da poderosa Anna Kisselgoff, crítica de dança do The New York Times. “O prazer dos dançarinos, músicos e cantoras em fazer o que eles fazem sobre o palco é tão obviamente parte da vida deles que contagia todo o teatro”, escreveu Kisselgoff. “Eu já assisti seus maravilhosos bailarinos em diferentes países, sempre se comunicando com o público. Crianças e adultos são tomados de imediato pelos ritmos e encantos de sua arte”, declarou a jornalista numa das suas criticas para o jornal norte-americano.

Reconhecida pela Associação Mundial de Críticos como a melhor companhia de dança folclórica do mundo, o Balé Folclórico da Bahia já formou mais de 700 bailarinos. A maioria deles de origem muito simples, que aprenderam os primeiros passos de dança no Balé e hoje brilham em grandes companhias internacionais do mundo. “Além do trabalho artístico, temos uma função social”, afirma Vavá Botelho.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.