Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundo

#Bahia: ‘Semana da Visibilidade Trans’ acontece em Salvador; confira programação

semana
O coletivo De Transs Pra Frente é o responsável pelas ações | FOTO: Reprodução/Andréa Magnoni |

A comemoração do Dia Nacional da Visibilidade Trans, todo dia 29 de janeiro, terá uma programação variada que discutirá a saúde, direito, arte, resistência e ativismo trans e travesti começando desde o dia 27 no Teatro Gregório de Mattos, em Salvador. O coletivo De Transs Pra Frente é o responsável pelas ações. A Semana da Visibilidade Trans mobilizará cursos, oficinas, workshops, palestras, mesas redondas, apresentações musicais e muito ativismo trans da melhor qualidade, e tendo como protagonistas homens e mulheres trans, travestis e trans não-bináries, provocando discussões, questionamentos e levando informações de maneira descomplicada e não estereotipada.

O Dia Nacional de Visibilidade Trans nasceu a partir de uma campanha realizada em 2004 chamada “Travesti e Respeito”. De acordo com a ativista transfeminista Viviane Vergueiro, nos anos seguintes a Associação Nacional de Travestis (Antra) e outras organizações resolveram celebrar esta data como um dia de visibilidade e desde então todo ano acontecem ações neste sentido.

Fora do espaço do Teatro Gregório de Mattos, haverá outras ações. No próximo domingo (22) já está confirmado um curso de Reiki com Andréa Magnoni e um Workshop de Defesa Pessoal com Roddolfo Carvalho, que acontecerão no Ateliê de Artes da Residência Universitária do Corredor da Vitória. Todas as atividades formativas serão gratuitas para pessoas trans e travestis e terão um valor simbólico para as que não são trans. As inscrições podem ser feitas na página do coletivo no Facebook.

No dia 29, às 18h, acontece no Teatro Gregório de Mattos o desfile com o tema Trans-Visibilidade que dá destaque a jovem marca K’NZANGI – Estamparia Afro, com autoria de Kawe Nzangi, homem trans e filho de Oxaguian, e a grife Rainha Loulou Couture, da artista Rainha Loulou. Na ocasião, homens e mulheres trans, pessoas não bináries e travestis levarão luz e poesia à passarela com peças exclusivas.

“O de Transs pra Frente se relaciona com esse contexto de lutas, ao tentar visibilizar algumas questões que estão envolvendo essa população, como por exemplo no campo da saúde, da reflexão teórica e das expressões culturais/artísticas, que são áreas onde que a gente tem que tensionar muito ainda pra poder existir com tranquilidade e dignidade”, afirmou a ativista Viviane.

O De Transs Pra Frente é um evento mensal, que acontece desde maio de 2016 no Teatro Gregório de Mattos e nasceu para suprir a necessidade de se falar das urgências do movimento trans e travesti em primeira pessoa, onde pautas como a violência sistemática, construções sociais de gênero, dificuldade de acesso à saúde, educação, trabalho e moradia são discutidos e evidenciados na voz e produção de um coletivo composto majoritariamente por pessoas trans e travestis. Em tempos de retrocesso de direitos e crises políticas e econômicas, fazer com que essas vozes sejam ouvidas respeitosamente se faz ainda mais necessário. Com informações de Assessoria.

Programação:
27/01
14h – 17h30 Oficina de Numerologia (facilitadora: Andréa Magnoni)
18h – 19h Abertura: Pocket Show com Vérciah e a Banda Muriquins, participação especial de Théo Meireles, Theo Gonçalves e Caic Tiben.
19h – 20h40 Palestra “Despatologização Trans e Travesti” (palestrante: Viviane Vergueiro)

28/01
14h – 16h Oficina de Autoaplicação Hormonal com o médico Fernando Meira
16h – 18h Workshop sobre Retificação de Documentos com a Drª. Eva Rodrigues e o Dr. Cacá Ribeiro, e os homens trans Bruno Santana e João Hugo
18h30 – 20h40 Mesa – “Infância e Adolescência Trans e Travesti” (Mediadora: Viviane Vergueiro)

29/01
14h – 17h Oficina de Ginecologia Natural para Homens Trans e Transmasculinos eAutomaquiagem para Mulheres Trans, Travestis e Transfemininas
18h – 19h Mulheres trans, pessoas não bináries e travestis desfilam o lançamento da marcaRainha Loulou Couture e homens trans desfilam trajes das grifes K’NZANGI – Estamparia Afro e Katuka – Africanidades
19h – 20h40 Mesa – Tensionando a Cisgeneridade a partir da Visibilidade Trans e Travesti (Mediador: Diego Nascimento)

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios