Chapada: Situação da Saúde em povoados de Boa Vista do Tupim é denunciada por vereador

Postado em ago 29 2017 - 11:24am por Jornal da Chapada
olavo

Para o vereador Olavo, o importante é dar atenção e voz aos trabalhadores do município | FOTO: Divulgação/Arquivo |

A situação da Saúde nos povoados do Baixio e Macambira, no município de Boa Vista do Tupim, foi denunciada pelo vereador Olavo (PCdoB), na última segunda-feira (28). Segundo ele, os povoados ficaram quase quatro meses sem médico. “Em maio um médico foi designado para o Posto de Saúde do Baixio para atender a região e menos de três meses, os povoados já se encontram sem médico novamente”, afirmou Olavo.

“Os povoados do Baixio e Macambira estão sofrendo nessa gestão pelo descaso, pois além de estar sem dentista, o atendimento médico não é oferecido pela gestão municipal, a população está revoltada com essa situação”, disse o vereador. Segundo Olavo, a população do Baixio “nunca sofreu tanto como está sofrendo nesta gestão, são muitas as reclamações da comunidade pelo descaso atual na Educação, Saúde, transporte escolar, transporte de pacientes e outras áreas, que estão deixando o povo sem o serviço público”.

Além da Saúde dos povoados, o vereador também ressaltou as ações da prefeitura que não são tomadas junto com a população. Ele exemplificou o caso da mudança do local de trabalho dos vendedores ambulantes. Atualmente aqueles que vendem verduras e roupas, comercializam seus produtos na Praça Ruy Barbosa durante a semana, onde se concentram também os carros que vão dos povoados para a sede.

“Na ideia de organizar a praça para os visitantes, o prefeito determinou a saída desses ambulantes do local. O fato é que a ideia foi rejeitada pelos ambulantes e mesmo assim a gestão quer obrigar a retirada deles do seu local de trabalho”, afirmou Olavo.

Para o edil o importante é dar atenção e voz aos trabalhadores. “Não estamos querendo aqui questionar ou discutir se é ou não o local apropriado para que os ambulantes comercializem seus produtos, o fato é que não se pode priorizar organização, prejudicando a vida das pessoas que tiram desse comércio seu sustento”, ressaltou o vereador. Para ele o mais importante nesse caso é estabelecer diálogo com os feirantes e realizarem as mudanças em comum acordo. Jornal da Chapada com informações de assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.