#Cultura: Terceira edição do Festival Radioca leva proposta multicultural para Salvador

Postado em out 5 2017 - 12:22pm por Jornal da Chapada
capa

O evento acontece nos próximos sábado (7) e domingo (8), sempre às 16h, no Trapiche Barnabé, região portuária de Salvador | FOTO: Montagem do JC |

O Festival Radioca chega a sua terceira edição em 2017 com uma programação que inclui shows e artistas inéditos, feira com produtos de música, moda, gastronomia e artes, além de uma oficina de fotografia. O evento acontece nos próximos sábado (7) e domingo (8), sempre às 16h, no Trapiche Barnabé, região portuária de Salvador. Com duas atrações a mais que nas edições anteriores, o evento terá 10 shows, apresentando um apanhado abrangente do que se produz na música brasileira atualmente, unindo estilos como RAP, guitarrada paraense, rock, música instrumental e pop. No sábado (7), sobem ao palco Livia Nery (BA), Pio Lobato (PA) tendo como convidado Lucas Estrela (PA), Raimundo Sodré (BA), Far From Alaska (RN) e Rincon Sapiência (SP).

Já no domingo (8), se apresentam Jadsa Castro (BA), Mopho (AL), Quartabê (SP), Curumin (SP) e Metá Metá (SP). O terceiro lote de ingressos está à venda no site Sympla, nas lojas Mito, Midialouca e Somos Coletivo Criativo e no bar Oliveiras e as entradas custam R$50 e R$25 (meia-entrada). “Acho que nossas escolhas são amarradas por três características: diversidade, qualidade e ineditismo”, explica o jornalista Luciano Matos, um dos curadores do festival, originado do programa de rádio homônimo da Educadora FM, apresentado também pelos músicos Ronei Jorge e Roberto Barreto, que completam o time da curadoria.

As duas edições anteriores receberam nomes como Siba, Anelis Assumpção, OQuadro, Apanhador Só, Karina Buhr, Giovani Cidreira, Jards Macalé e Dona Onete, entre outros, e foram sucesso de público e crítica. Nesta edição, são esperadas 5 mil pessoas nos dois dias do evento. “Acreditamos que o festival é uma plataforma de desenvolvimento do mercado da música e uma vitrine do Brasil para a Bahia e da Bahia para o Brasil, mostrando para o país a cena fértil que acontece por aqui”, conclui Carol Morena, coordenadora do Radioca.

Além do palco
A ideia de fortalecer o mercado da música vai além do palco, com a realização de uma oficina inédita de fotografia de shows musicais. Victor Balde e Arthur Soares, da Snapic, empresa especializada de Sergipe, orientarão duas turmas de fotógrafos durante o festival. A dupla traz no currículo passagens por festivais como Paléo e Gurten (ambos na Suiça), Lollapalooza (SP), Do Sol (RN), Psicodália (SC) e são os fotógrafos oficiais do Universo Paralello (BA), Abril Pro Rock (PE) e Zons (SE).

Uma feira de artigos que unem música a moda e design também ocupa o Trapiche durante o festival. A exposiSONS alinha segmentos sonoros em um espaço informal para venda, divulgação e convivência e trará produtos musicais, projetos, selos e editoras independentes, instrumentos artesanais e serviços especiais. O stand terá também duas ações ambientais: troca-troca de CDs e coleta de e-lixo para o projeto JJ Lixo Eletrônico.

O artista plástico, ilustrador e quadrinista paraibano Shiko também vai expor suas obras no Radioca. Estão programadas sessões de autógrafos das 16h às 18h horas, nos dois dias de festival, no stand da marca Crioula, onde estarão expostas ilustrações em aquarela relacionadas à música e lambe-lambes, além de alguns dos seus quadrinhos. Jornal da Chapada com informações de assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.