CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolítica

#DataFolha: Lula mesmo condenado segue líder em pesquisa; Bolsonaro assume liderança sem o petista

lula
Lula segue líder absoluto em todos os cenários analisados e venceria com folga qualquer um dos candidatos | FOTO: Montagem do JC |

A nova pesquisa Datafolha, publicada nesta quarta-feira (31), mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue na liderança com ampla vantagem na corrida presidencial, tendo entre 34% e 37% dos votos no primeiro turno, e ganhando de todos os adversários por ampla margem no segundo turno. Essa pesquisa mostra que nem mesmo a condenação no TRF-4 (segunda instância) foi capaz de abalar a liderança do ex-presidente nas eleições de 2018. Lula segue líder absoluto em todos os cenários analisados e venceria com folga qualquer um dos candidatos. Em um cenário sem Lula, o líder é o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC).

Lula lidera o primeiro turno em todos os cenários em que seu nome é colocado, com percentuais que variam de 34% a 37%. No segundo turno, venceria Alckmin (49% a 30%) e Marina (47% a 32%), além de Bolsonaro. A condenação de Lula pode torná-lo inelegível, mas sua participação na campanha depende de uma decisão do TSE que só deve ocorrer em setembro. Até lá, ele pode se apresentar como pré-candidato e recorrer a tribunais superiores para garantir seu nome na disputa. Favorito para se candidatar à Presidência pelo PSDB, Alckmin não consegue voar em todos os cenários do Datafolha. O tucano tem de 6% a 11% das intenções de voto.

No segundo turno, o tucano seria derrotado por Lula e aparece tecnicamente empatado em uma disputa com Ciro Gomes (PDT). Nesta segunda simulação, quase um terço dos eleitores diz que votaria em branco ou nulo. A dificuldade enfrentada por Alckmin para subir nas pesquisas provocou questionamentos dentro de seu próprio partido sobre a viabilidade de sua candidatura. Potencial alternativa ao governador no PSDB, o prefeito paulistano João Doria também não decolou: aparece com, no máximo, 5% das intenções de voto.

Cenário sem Lula
Já em uma possível corrida presidencial sem Lula, quatro candidatos disputariam uma vaga no segundo turno contra Bolsonaro, de acordo com a pesquisa do Datafolha. O levantamento realizado na segunda (29) e na terça (30) e publicado nesta quarta (31) mostra que o ex-presidente manteve vantagem sobre os rivais, com até 37% das intenções de voto. Seu eleitorado, porém, se pulveriza e a briga tende a se tornar acirrada caso ele seja barrado com base na Lei da Ficha Limpa. Bolsonaro aparece em primeiro lugar no principal cenário sem Lula, com 18%. Ele supera Marina Silva (Rede), Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e Luciano Huck (sem partido).

Marina lidera o segundo pelotão, com 13%. Ciro (10%), Alckmin (8%) e Huck (8%) estão tecnicamente empatados. O Datafolha fez 2.826 entrevistas em 174 municípios. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR 05351/2018. Apesar de liderar a corrida sem Lula, Bolsonaro parou de crescer. Ele oscilou negativamente em todos os quadros apresentados na pesquisa, em comparação com o levantamento de novembro. Jornal da Chapada com informações do Brasil 247 e Folha. Leia mais na Folha.

Pesquisa Datafolha, realizada em 29 e 30 de janeiro de 2018. (alguns cenários)
CENÁRIO A
Lula – 37%
Bolsonaro – 16%
Alckmin – 7%
Ciro – 7%
Joaquim Barbosa – 5%
Alvaro Dias – 4%
Collor – 2%
Manuela – 1%
Paulo Rabelo de Castro – 1%
João Amoedo – 1%
Guilherme Boulos – 0%

CENÁRIO B
Lula – 34%
Bolsonaro – 16%
Marina – 8%
Luciano Huck – 6%
Alckmin – 6%
Ciro – 6%
Alvaro Dias – 3%
Collor – 1%
Manuela – 1%
Henrique Meirelles – 1%
João Amoedo – 1%

CENÁRIO C (sem Lula)
Bolsonaro – 18%
Marina – 13%
Ciro – 10%
Luciano Huck – 8%
Alckmin – 8%
Alvaro Dias – 5%
Collor – 2%
Manuela – 2%
Jaques Wagner – 2%
Henrique Meirelles – 1%

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios