AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal
Trending

#Bahia: Manchas de óleo diminuem no litoral baiano, segundo informações da Sema

No total, oito cidades e 32 localidades foram contaminadas pela substância em todo o estado, segundo órgãos ambientais e prefeituras.

O surgimento de manchas de óleo no litoral da Bahia diminuiu nas últimas 24h, segundo informações divulgadas na última terça-feira (15) pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema). De acordo o secretário João Carlos Oliveira, não há registro da substância na maioria das praias afetadas pelo problema desde a segunda-feira (14).

“A nossa avaliação hoje foi muito positiva, porque a quantidade de óleo que chegou às praias diminuiu sensivelmente, comparando principalmente com sexta-feira [11], que foi um dia crítico. Hoje nós tivemos informações de todo o litoral da Bahia e houve uma diminuição bastante significativa”, afirmou.

“Nós fizemos avaliação e os municípios de Conde, Jandaíra e Entre Rios, que é onde se concentra a maior quantidade de óleo, esses municípios estão com pessoas trabalhando, Corpo de Bombeiros acompanhando, a Defesa Civil, a Petrobras também com contingente na praia. Portanto, essa é uma ação que nós estamos envolvendo todos os segmentos que estão envolvidos direta e indiretamente nesse desastre ambiental”, completou o secretário.

No total, oito cidades e 32 localidades foram contaminadas pela substância em todo o estado, segundo órgãos ambientais e prefeituras. Ao menos três municípios não registraram surgimento do óleo na terça. São eles: Salvador, Mata de São João e Jandaíra. Em Conde, que fica a 186 quilômetros da capital, ainda há manchas de óleo, mas em menor quantidade.

Em Salvador, a substância está guardada em um depósito da Empresa de Limpeza Urbana | FOTO: Divulgação |

De acordo com o balanço, nos últimos dias, mais de 50 toneladas de óleo foram recolhidas nos quatro municípios. Em Conde, o material ainda não foi pesado, mas, conforme estimativa da prefeitura, a cidade é a que mais foi afetada: com cerca de 30 toneladas. Salvador é o município com menor volume da substância, 37 quilos. Em Mata de São João foram 15 toneladas e Jandaíra teve 8 toneladas.

Segundo as prefeituras, o material foi retirado das praias por equipes de limpeza de órgãos municipais, com a ajuda de voluntários em algumas cidades. Sob orientação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), o óleo está sendo armazenado em big bags – sacolas de material resistente para resíduos.

Em Salvador, a substância está guardada em um depósito da Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb). Conde armazena o material em um espaço provisório, na Secretaria de Obras do município. Em Jandaíra, o óleo está guardado em um terreno no povoado de Coqueiro. Já Mata de São João guarda o material em um alojamento provisório.

Até então, as operações de recolhimento do óleo têm sido custeadas pelas prefeituras, com a ajuda de doações de grupos voluntários em algumas cidades. As prefeituras de Conde e Jandaíra contaram que esperam que o cenário melhore com os recursos que serão liberados pelo Governo do Estado com o decreto de situação de emergência.

O documento, que foi assinado na segunda-feira (14) pelo governador em exercício, João Leão (PP), deve beneficiar ainda Entre Rios, Lauro de Freitas, Camaçari e Esplanada. Salvador e Mata de São João não foram incluídos no decreto, porque, segundo o Governo do Estado, não decretaram situação de emergência. Jornal da Chapada com informações de G1BA.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas