CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal
Trending

#Salvador: “Entregar o terreno do Odorico Tavares à iniciativa privada é um atentado à educação”, diz Rede em nota

O movimento dos alunos teve como objetivo a suspensão da negociação do imóvel e do fechamento da unidade de ensino.

A Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade prestou apoio e solidariedade aos estudantes que ocuparam na terça-feira (21) as dependências do Colégio Estadual Odorico Tavares, em Salvador. O movimento dos alunos teve como objetivo a suspensão da negociação do imóvel e do fechamento da unidade de ensino.

“É equivocada a decisão do governo da Bahia de fechar o único colégio público na região que tem o metro quadrado mais caro da Bahia. Tirar dos estudantes negros e pobres para entregar o terreno à iniciativa privada é um atentado á educação, é uma ação higienista, um erro político, um ato de exclusão e uma forma de dizer que não querem esses jovens convivendo no Corredor da Vitória”, diz a Rede em nota.

Ainda segundo o texto, “a especulação imobiliária está por trás de tal decisão do governador Rui Costa e do seu secretário, bem como a falta de compromisso histórico com a qualidade e democratização da educação pública na Bahia”. Na nota, a Executiva Estadual da Rede Sustentabilidade também discorda da decisão da Assembleia Legislativa da Bahia, que aprovou requerimento de urgência do projeto da venda da área onde está situado o colégio.

“A luta da comunidade para manter aberta e em funcionamento a escola pública Odorico Tavares representa legítima demanda pelo direito à educação, garantido constitucionalmente”, diz o texto, ao salientar que “a resolução desse problema passa por mais investimentos, melhor remuneração dos profissionais, requalificação dos espaços de ensino e a democratização dos processos que envolvem a comunidade escolar. Priorização, investimento, gestão e democracia”.

“Fechar uma escola tradicional, com imenso potencial, para atender a interesses privados, só ratifica a insensibilidade e o descompromisso do governo do Estado com a educação que emancipa, inclui e transforma realidades. Que o governador Rui Costa saiba dialogar e impedir que esse equívoco se estabeleça, garantindo a segurança dos legítimos manifestantes”, finaliza a nota. As informações são de assessoria.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas