Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundo
Trending

#Polêmica: Professora ‘mita’ ao pedir Exército nas ruas para Bolsonaro para acabar com o isolamento em plena pandemia

Fátima Montenegro é dona da empresa Caligrafia ABZ, que ensina caligrafia técnica para adultos e crianças.

“Põe o Exército na rua, presidente, abra esse comércio. Sou professora e não estou podendo dar aula”, diz a mulher em vídeo publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em suas redes sociais nesta quinta-feira (2). No vídeo, é mostrado o pedido desesperador de uma professora pelo fim do isolamento social em meio à pandemia do coronavírus. Além de militante bolsonarista, a mulher em questão é empresária e dá aulas de caligrafia.

Fátima Montenegro é dona da empresa Caligrafia ABZ, que ensina caligrafia técnica para adultos e crianças. Em postagem no Facebook, Fátima faz propaganda de seu serviço e escorrega nos erros gramaticais: “2a fase da OAB, concurso, vestibular, estudantes, satisfação pessoal…. Seja qual for o seu objetivo. Aprenda escrever, com quem, realmente, entende. Curso com a Prof Fátima Montenegro”.

Veja o vídeo da representação da mulher

A empresária também participou dos atos do dia 15 de março convocados por Bolsonaro para fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF). Em uma das fotos, Fátima aparece segurando uma faixa que diz: “Câmara, Senado, STF e a grande imprensa estão contra o Brasil”. As redes sociais da empresária mostram uma pessoa ativa nos atos bolsonaristas. Em vídeo publicado em janeiro deste ano, Fátima aparece ao lado de colegas bolsonaristas durante um ato em Brasília e diz que vai protestar em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Estamos aqui neste evento maravilhoso, nesse momento histórico. Morra de inveja, resistência, petralhas. Vão para a casa do chapéu. Estamos felizes e vamos para o STJ, quer dizer, STF! Daqui a pouco”, diz, ao confundir os tribunais. No vídeo compartilhado por Bolsonaro, a professora diz estar passando necessidade junto aos filhos por conta do isolamento social. Ela pede ao presidente para colocar o “Exército na rua” e abrir o comércio.

“É difícil para o senhor porque só tem gente para derrubar. Mas, o senhor tem o povo e eu faço parte dele. Eu tô aqui pedindo: põe o Exército na rua, presidente, abra esse comércio. Sou professora e não estou podendo dar aula”, diz a mulher, diante de um Bolsonaro estático em sua frente. A professora também foi alvo memes nas redes sociais por seu pedido ensurdecedor para que a quarentena fosse finalizada. Com informações do site Revista Fórum.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios