AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu PrincipalTop
Trending

#Chapada: Menina de sete anos ganha peruca de outra criança após perda de cabelos em tratamento contra o câncer

A doação partiu de outra criança, a Maria Eduarda, que também tem sete anos. A ação de solidariedade aconteceu em Feira de Santana.

Moradora da região da Chapada Diamantina, Ana Clara Silva, de sete anos, ganhou uma peruca após perder os cabelos por causa de um tratamento de câncer de ovário descoberto em janeiro deste ano. A doação partiu de outra criança, a Maria Eduarda, que também tem sete anos. A ação de solidariedade aconteceu em Feira de Santana, onde a garota e a família moram no momento.

Por conta do tratamento de quimioterapia, a pequena Ana Clara perdeu os cabelos e a deixou desanimada. Diante da situação, ela pediu à mãe uma peruca, mas a família não tinha condições de realizar o pedido. Sua história ficou conhecida em Feira de Santana após a garotinha participar, junto com a família, de uma reportagem sobre câncer infantil, neste mês de fevereiro, feita pela emissora da região.

Sua história repercutiu e comoveu algumas pessoas, que resolveram ajudar. Entre elas estava a família da pequena Maria Eduarda, de 7 anos. A mãe de Maria Eduarda, ao ver a situação de Ana Clara, resolveu cortar o cabelo da filha. No início, Eduarda não gostou da ideia, mas ao saber que o cabelo seria doado para outra criança, ela autorizou o corte.

“Eu pensei que poderia doar para ela”, conta a menina. Por meio de uma chamada de vídeo feita enquanto Ana Clara estava no hospital durante o tratamento, Maria Eduarda revelou para a nova amiga sobre a doação. “Você vai gostar? Quando você ficar boa, eu vou te dar um abraço”, disse Eduarda. A avó de Maria Eduarda levou as mechas da neta para uma loja que fabrica e vende perucas. Ela conta que as duas meninas estão felizes com o gesto de solidariedade.

“Esperar ficar pronto e fazer outra criança feliz. Ela [Ana Clara] vai ficar muito feliz e Maria Eduarda também”, disse Maria Eduarda Bezerra, avó da criança. A quantidade não era suficiente para confeccionar uma peruca, mas a loja decidiu doar a quantidade de cabelo que faltava. “A gente vai complementar para formar uma peruca completa. A gente vai limpar, selecionar o fio do cabelo, confeccionar e depois a montagem da peruca. Vai ficar perfeito e igual”, explica Alda Silva, gerente da loja. Jornal da Chapada com informações do portal G1.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios