CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundoTop
Trending

#Polêmica: Canal bolsonarista ‘Terça Livre’ é removido do YouTube a pedido da Justiça

Decisão da juíza da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo permite ao Google retirar o canal por violar as regras da plataforma

O youtuber bolsonarista Allan dos Santos, além de ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no inquérito dos “atos antidemocráticos”, tem mais um problema para se preocupar. O Google removeu do YouTube, nesta quinta (15), o canal Terça Livre, fundado por ele.

A Justiça deu parecer favorável à empresa, que já havia suspendido o canal no mês de fevereiro. Porém, foi obrigada a mantê-lo ativo por meio de liminar.

Ana Carolina de Almeida, juíza da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, julgou improcedente a retomada do canal, o que deu direito à remoção.

“Com a perda dos efeitos da decisão liminar que estava em vigor, os canais serão removidos novamente, de acordo com os termos de serviço e as diretrizes de comunidade do YouTube”, declarou ela, em entrevista à Folha de S.Paulo.

Ana Carolina de Almeida, juíza da 8ª Vara Cível da Comarca de São Paulo, julgou improcedente a retomada do canal, o que deu direito à remoção.

“Com a perda dos efeitos da decisão liminar que estava em vigor, os canais serão removidos novamente, de acordo com os termos de serviço e as diretrizes de comunidade do YouTube”, declarou ela, em entrevista à Folha de S.Paulo.

Recurso
“Os advogados do Terça Livre vão recorrer da decisão, porém, o YouTube pode remover as contas a qualquer momento”, disse o site bolsonarista, que tem mais de 1,23 milhão de inscritos na plataforma de vídeo.

De acordo com o YouTube, o canal de Allan dos Santos violou as regras da plataforma, ao publicar um vídeo que sugere fraude nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, depois da derrota de Donald Trump para Joe Biden, no final de 2020. A redação é do site da Revista Fórum.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios