Chapada: Programa da EBDA prevê a proteção de nascentes de 23 rios

Postado em set 18 2014 - 3:12pm por Jornal da Chapada
vida

A empresa vai fazer o georreferenciamento das nascentes, levantamento da vegetação, fornecimento de mudas de espécies florestais e frutíferas para povoamento da área | FOTO: Reprodução |

Elemento essencial para a vida de todas as espécies, a água, sobretudo a doce, é um bem natural que necessita de preservação. A poluição hídrica compromete a qualidade dessa água, prejudicando a biodiversidade, o consumo e a produção de alimentos. Pensando em preservar as nascentes dos rios que cortam os municípios baianos de Utinga e Wagner, a Empresa Baiana de Abastecimento Agrícola (EBDA), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), através da Base de Utinga (Estação Experimental/ Escritório Local/ Centro de Treinamento – CENTRAF), iniciou o Programa de Proteção de Nascentes.

Até o momento, cinco nascentes já foram protegidas com o programa, e a previsão é garantir a preservação das águas de 23 rios, entre eles, a nascente do Rio Utinga, maior da região. Esse rio compõe a bacia hidrográfica que abrange uma área de aproximadamente 3000 km² na Bahia. “A importância do Rio Utinga é significativa, por ser um dos maiores mantenedores da Bacia do Rio Paraguaçu, que representa algo em torno de 60% da água da capital Salvador”, salientou o Chefe da Estação Experimental de Utinga, o engenheiro agrônomo Itamar Monteiro.

O trabalho da EBDA consiste, inicialmente, em fazer o georreferenciamento das nascentes, levantamento da vegetação, fornecimento de mudas de espécies florestais e frutíferas para povoamento da área, e cadastramento das propriedades das famílias de agricultores que moram próximos às nascentes. A partir daí, a empresa disponibiliza kits de proteção das áreas que compõem as nascentes a fim de evitar sua poluição.

De acordo com Itamar Monteiro, é possível preservar os rios e garantir água de qualidade com esta iniciativa. “O resultado do programa é imediato e consiste basicamente em se isolar uma área num raio de 50 metros, distância recomendada pelo código florestal brasileiro e fazer, a cada seis meses, o acompanhamento da recuperação da vegetação”, informou Monteiro.

O programa de Proteção de Nascentes conta com a parceria da Prefeitura de Utinga, através da Secretaria do Meio Ambiente, e faz parte do Programa de Quintais Agroflorestais (PQA), que tem como objetivo transformar áreas, dentro de propriedades, em espaços agroflorestais resistentes às intempéries climáticas, garantindo assim, a segurança alimentar e a geração de renda para os beneficiários do programa.

Produtores de Água
Levando em consideração as famílias que moram próximas às nascentes dos rios sob proteção do programa, a EBDA visa transformar essas pessoas em produtoras de água. A proposta é que estas famílias recebam uma bolsa auxílio para serem mantenedoras das ações do programa de Proteção de Nascentes. “Espera-se que, no desenvolvimento do programa, os produtores detentores, que não são donos das nascentes sejam remunerados como produtores de água, da mesma forma que já está acontecendo nos estados de São Paulo e Minas Gerais”, esclareceu Itamar Monteiro.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.