Líder da oposição não quer dificuldades para aprovação de CEIs na Câmara de Salvador

Postado em jun 15 2015 - 6:40pm por Jornal da Chapada
foto

Reunião da CCJ nesta segunda-feira na Câmara de Salvador | FOTO: Divulgação/Ascom |

A reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de Vereadores de Salvador, desta segunda-feira (15), foi marcada pela discussão da mudança do regimento interno. Essa peça foi encaminhada, na última quarta-feira (10), e elaborada a pedido da mesa diretora pelo vereador Edvaldo Brito (PTB). O líder da oposição na Casa, o petista Luiz Carlos Suíca ressalta o exaustivo trabalho de Brito, “que se debruçou sobre esse longo regimento. O nosso mandato apresentou várias emendas, a maioria delas foram aceitas, poucas foram negadas e acreditamos que os pontos fundamentais foram compreendidos”.

foto

O líder da oposição Luiz Carlos Suíca durante reunião da CCJ | FOTO: Divulgação/Ascom |

De acordo com Suíca, a proposta atual do regimento aumenta o quórum para aprovação da Comissão Especial de Inquérito (CEI). No formato novo, para uma CEI ser instalada, ela precisa de aprovação favorável de 2/3 (dois terços) dos membros. “No modelo passado, bastava ter a maioria simples, ou seja, 50% mais um. O que defendemos é que se mantenha esse mecanismo de ser aprovado com maioria simples”, aponta o vereador petista.

O líder da oposição salienta que no Congresso Nacional, para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), “que seria um análogo à CEI”, não precisa de aprovação do plenário, como funciona na Câmara, basta ter o número mínimo de assinaturas que a CPI é automaticamente instalada. “Provavelmente essa peça irá passar e acredito que tem a ver com o debate que levantamos quando a CEI do Metrô, que por desistência do seu principal proponente, não foi instalada. Tem sido uma real dificuldade instalar CEIs nesta Casa”.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.