Globo paz e amor: Jornal Nacional surpreende com pauta positiva de Dilma

Postado em ago 11 2015 - 7:14pm por Jornal da Chapada
foto

No ‘Jornal Nacional’ de ontem (segunda, dia 10), Dilma Rousseff ganhou espaço privilegiado | FOTO: Reprodução/TV Globo |

Acusada por setores da sociedade de fazer oposição velada ao governo, e dar destaque exagerado aos escândalos de corrupção envolvendo ícones da esquerda, a Globo quer se reaproximar de Dilma Rousseff e do PT. Nos últimos dias, alguns veículos de comunicação noticiaram uma suposta determinação que teria sido feita pela cúpula da emissora (leia-se a família Marinho) à direção de jornalismo do canal: equilibrar a cobertura da crise política no país.

No ‘Jornal Nacional’ de ontem (segunda, dia 10), Dilma Rousseff ganhou espaço privilegiado: 1 minuto e 30 segundos para uma pauta favorável à reação dela ao momento de instabilidade do governo. Parece pouco tempo, mas é além do habitual em telejornais e, especialmente, no ‘JN’. No estúdio, Renata Vasconcellos fez uma introdução em sintonia com o discurso de Dilma: “A presidente disse que o Brasil está fazendo uma travessia, que as dificuldades são temporárias e que as pessoas não precisam ficar inseguras. E fez um apelo para que as pessoas pensem, em primeiro lugar, no país”.

Usando imagens geradas pela NBR, o canal oficial do governo federal, a edição do ‘Jornal Nacional’ deixou um trecho longo da fala da presidente durante evento do Minha Casa Minha Vida no Maranhão. Inclusive a parte na qual ela critica os pessimistas. “Ninguém que pensa no povo brasileiro deve aceitar a teoria, os processos que falam assim: ‘Ah, eu não gosto do governo, então eu vou enfraquecer ele. Aí eu aposto no quanto pior, melhor’. Quanto pior, melhor? Melhor para quem? É pior para a população. É pior para o povo. É pior para todos nós.”

A poucos dias de duas manifestações importantes — contra Dilma no dia 16 e pró-governo dia 20 —, a Globo parece fazer uma tentativa de minimizar a imagem de emissora alinhada mais à direita. Em vários protestos recentes, a emissora se tornou alvo de gritos como “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo” e “A verdade é dura, a Globo apoiou a ditadura”. Repórteres do canal foram hostilizados e transmissões ao vivo precisaram ser interrompidas devido à ação de manifestantes anti-Globo.

Talvez a emissora esteja à procura da cobertura jornalística imparcial cobrada pela esquerda. Em um momento delicado de audiência, com fuga de público para outros canais e plataformas, as emissoras abertas não podem se dar ao luxo de desagradar telespectadores de nenhuma ideologia. Matéria extraída do Portal Terra.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.