CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Vereador refuta redução do Bolsa Família e sugere outros tipos de cortes

fotor
O vereador de Salvador, Luiz Carlos Suíca | FOTO: Divulgação/Ascom |

O líder da oposição na Câmara de Salvador, vereador Luiz Carlos Suíca (PT), engrossou as fileiras contra a redução dos valores do programa de transferência de renda Bolsa Família. Nesta quinta-feira (22), o edil petista refutou a proposta do relator do projeto de Orçamento de 2016, deputado Ricardo Barros (PP-PR), que quer um corte de R$ 10 bilhões dos R$ 28,8 bilhões previstos para o programa no ano que vem. “Deveria era cortar os R$ 8 bilhões que dão de verba aos deputados federais. E isso não falo para criar polêmica, pelo contrário, temos de ser perspicazes neste sentido. Esses recursos só servem de emendas para eles fazerem campanha. Quando uma prefeitura precisa fazer um projeto de infraestrutura manda para o governo federal para arrecadar a verba, já vem o dinheiro, via fundo, via ministério, para que mais dinheiro? Deve cortar as verbas de quem pode pagar”, dispara Suíca.

De acordo com o vereador de Salvador, o Bolsa Família ajuda a fomentar o empreendedorismo entre os mais pobres com a intenção de virar empreendedor e abandonar o programa. “Tem várias histórias como a de uma pessoa que não tinha renda e depois do benefício investiu o dinheiro para comprar massa de pastel e faz seus pasteis. Vendendo esse produto deixou de precisar do Bolsa Família. Recentemente, em Alagoas, no município de Campo Alegre, uma senhora se aposentou e devolveu o cartão do programa, ela deveria servir de exemplo para tantos outros que insistem em cometer irregularidades”, destaca o petista. Suíca ainda diz que a função do programa, que completou 12 anos neste mês de outubro é garantir o sustento e dar condições para as crianças irem para a escola.

“O programa tirou milhões de famílias da miséria, mas enquanto projeto, o Bolsa Família deveria ter meio e fim, para possibilitar outras pessoas entrarem. Acredito que o governo federal tem que buscar mais mecanismos de fiscalização, para que esse projeto atinja o seu objetivo real. Olha o escândalo que foi em Ilhéus, mais de 2 mil pessoas fraudaram o Bolsa Família e eram funcionários públicos da prefeitura. Se o governo não achar uma saída, está na hora dos deputados mostrarem para que vieram, e deixar à disposição as suas emendas de governo para garantir a manutenção do Bolsa Família para o povo”, completa.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios