Bahia: Jornal A Tarde volta para mãos da família Simões

Postado em mar 6 2016 - 9:59am por Jornal da Chapada
foto6

Os advogados da família Simões esclareceram que a retomada do controle do grupo foi possível, não só porque o contrato se revelou ineficaz, como também porque, formalmente, as ações dos Simões nunca foram transferidas | FOTO: Reprodução |

Depois de muitas confusões, demissões e falta de pagamentos a família Simões reassumiu o controle do Grupo A TARDE na última sexta-feira (4) e destituiu os conselheiros e diretores nomeados a pedido da Piatra SP Participações S.A e Invest Consultoria Eirelli – Me, pelo não cumprimento de cláusulas contratuais do acordo de venda celebrado entre as partes, em 15 de janeiro deste ano.

Os Simões também requereram à Secretaria da Segurança Pública (SSP) que a Polícia Civil investigue a Piatra e pessoas associadas, por suposta falsidade de documento apresentado como garantia para concretização do acordo.
Outra providência foi a reintegração dos diretores Mariana Carneiro (Redação), Edmilson Vaz (Comercial) e os gerentes Emanuel Soares (Marketing), Cleber Soares (Financeiro) e Luis Bernardes (Circulação), irregularmente demitidos quinta-feira pelos representantes da Piatra.

Segundo os advogados César Joau e Renato Bastos, representantes da família Simões, as demissões não tiveram efeito legal, porque foram assinadas por Washington Miranda, que se apresentava como diretor administrativo financeiro do grupo, mas que não tinha poderes para tanto. O executivo André Blumberg, que conduziu o processo de venda da empresa e se afastou após a celebração do contrato, também reassumiu a direção-geral de A TARDE. Cleber Soares e Dilson Santiago foram empossados, respectivamente, como diretor de operações e diretor controller.

Investigação
A investigação para o possível crime praticado pela Piatra e pela Invest é necessária, afirmam os advogados, diante de suspeitas que se mostraram relevantes e do histórico do grupo. A Piatra e associados já respondem a processos judiciais em outras unidades da Federação, por razões semelhantes àquelas que se verificaram na negociação de venda do Grupo A TARDE.

Os advogados da família Simões esclareceram que a retomada do controle do grupo foi possível, não só porque o contrato se revelou ineficaz, como também porque, formalmente, as ações dos Simões nunca foram transferidas. Os Simões mantêm a titularidade dos papéis nos livros societários e perante a Junta Comercial da Bahia (Juceb).

“A família acreditava que as obrigações assumidas pelos compradores seriam concretizadas. Porém, não se verificou tal cumprimento, principalmente em relação à condição suspensiva de eficácia do negócio”, argumentaram os advogados. Sem a apresentação pela Piatra e associados de “garantias idôneas” das obrigações assumidas para que o contrato de venda tivesse eficácia, a família Simões segue à frente da Editora A TARDE e da Rádio A TARDE, por meio do conselho de administração e diretoria regularmente eleitos.

Advogados desistem
Os advogados Fernando Neves, Ruy João Ribeiro e Orlando Kalil Filho desistiram, na tarde da última sexta, de representar juridicamente a empresa Piatra e associados. Em nota pública, os defensores esclarecem que, embora seus nomes tenham sido publicados no Portal e nos impressos A TARDE e Massa! como diretores jurídicos do grupo, o contrato com os representantes da Piatra não foi efetivado.

“Neste momento, acabamos de comunicar aos referidos sócios que, por motivos de foro íntimo, não mais assumiremos a direção jurídica nas áreas tributária, civil e trabalhista do novo empreendimento”, declaram os advogados em nota. As informações são do A Tarde On Line.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.