Delator acusa o deputado Lúcio Vieira Lima de extorsão; apelido na lista era ‘Bitelo’

Postado em dez 12 2016 - 10:54am por Jornal da Chapada
lucio

Lúcio, de codinome “Bitelo”, recebeu entre R$ 1 e R$ 1,5 milhão, segundo o ex-diretor da Odebrecht | FOTO: Reprodução |

O ex-diretor da Odebrecht em Brasília, Claudio Melo Filho, acusa o deputado federal baiano, Lúcio Vieira Lima (PMDB), de extorsão. Se não recebesse dinheiro da companhia, de acordo com o delator, o parlamentar dificultaria a aprovação de uma medida provisória que interessava à empreiteira.

Claudio Melo Filho conta ter mantido “contato frequente” com o deputado, que era presidente da comissão mista que discutiu a MP 613/2013. Lúcio, de codinome “Bitelo”, recebeu entre R$ 1 e R$ 1,5 milhão, segundo o ex-diretor da Odebrecht, que disse não se lembrar do valor com exatidão.

“Embora o pedido de contribuição financeira tenha sido feito pelo parlamentar acima com fundamento em necessidade de custear despesas de campanhas eleitorais, ficou claro que o não atendimento ao pedido traria dificuldades na aprovação da MP 613”, conta o delator.

Confira aqui o documento da sua delação. O trecho que fala de Lúcio Vieira Lima está na página 44. As informações foram extraídas do site Brasil 247.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.