Secretaria da Administração converte veículos do governo estadual para gás natural

Postado em dez 23 2016 - 6:14pm por Jornal da Chapada
veiculo

Economia de combustível chega a 50%, em comparação com o consumo de gasolina | FOTO: Reprodução |

Um total de 45 veículos Estado foi transformado para Gás Natural Veicular (GNV), nos últimos trinta dias, fruto de um convênio da Secretaria da Administração (Saeb) com a empresa Bahiagás, para conversão de 140 carros da frota estadual para GNV. Os automóveis já estão rodando nas ruas, gerando uma economia de cerca de 50% no custo de combustível, em comparação com consumo de gasolina. Os outros 95 veículos restantes vão ser modificados no início de 2017. Outra vantagem do projeto é a redução da emissão de monóxido e dióxido de carbono no meio ambiente, diminuindo os índices de poluição do ar. O convênio prevê um investimento da Bahiagás de R$ 800 mil para fazer a conversões dos veículos.

Já o Estado não terá custos com a instalação dos kits de GNV. O projeto é vantajoso para todas as partes envolvidas. A empresa Bahiagás financia a conversão dos veículos como parte de sua de sua estratégia mercadológica de fomentar o uso de Gás Natural. O Estado diminui seus gastos com combustível e implanta dos kits sem aportar recursos. E, a população também ganha com a redução da emissão de poluentes no meio ambiente.

O contrato para instalação dos kits vai contemplar 17 órgãos públicos estaduais, pertencentes à administração direta e indireta do poder executivo. Entre as entidades beneficiadas estão às secretarias da Administração, Fazenda, Trabalho, Desenvolvimento Econômico, Administração Penitenciária, Relações Institucionais, Justiça e Direitos Humanos, Desenvolvimento Urbano, Agricultura e Educação. Órgãos como Procuradoria Geral do Estado, Agerba e Inema também vão ter carros de suas frotas transformados.

Conversão – Os primeiros veículos começaram a ser convertidos em novembro, pela empresa Gastech, que venceu a licitação número 02/2016, ofertando menor preço. A conversão para GNV será feita em veículos leves, movidos à gasolina/álcool, a exemplo de Ecosport, Fiesta, Palio e Sandero. O custo médio para a instalação de um kit de gás natural foi estimado em R$ 5,7 mil. Os veículos que vão ser modificados pertencem à frota própria do Estado, que possui 4.679 unidades.

Os primeiros 45 veículos modificados pertencem às frotas das secretarias da Administração, Justiça, Agricultura, Desenvolvimento Econômico, Educação, Desenvolvimento Urbano, Administração Penitenciária. Também estão entre os primeiros beneficiados a Procuradoria Geral do Estado e a Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Agersa). O Ecosport de placa OKU-6688, pertencente à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), está entre os veículos do Estado já convertidos ao GNV. O veículo teve o Kit de Gás Natural completo instalado: válvula reguladora de pressão, central eletrônica, bicos injetores e dois cilindros.

Três técnicos levaram cerca de cinco horas para fazer as mudanças no Ecosport. De acordo com Armando Arouca, responsável técnico da Gastech, os Kits de GNV instalados nos veículos do Estado são da 5ª geração, mais modernos que os modelos anteriores. Estes equipamentos usam bicos injetores, que não permitem que o motor perca potência ou falhe. No passado, os Kits de 3ª geração aspiravam o gás para o motor o que gerava falha e perda de força. O modelo atual também é mais econômico no consumo de gás do que a tecnologia anterior.

Economia
Antes de assinar o convênio, a Saeb realizou uma análise para verificar a vantagem da mudança no uso de combustíveis líquidos para Gás Natural Veicular. Pelo estudo, um veículo à gasolina do estado consome R$ 1,1 mil, por mês, enquanto um carro movido à GNV gastará R$ 562 mensalmente. A análise levou em consideração uma situação hipotética, com consumo de 10 litros de gasolina por dia, com preço médio de R$ 3,66 por litro, enquanto o gás natural necessitaria de 7 metros cúbicos, com o valor unitário de R$ 2,34 por metro cúbico.

Nos dois casos, o veículo rodaria cerca de 100 km. Mas o custo de 10 litros de gasolina custaria cerca de R$ 36,00, enquanto os 7 metros cúbicos seria em torno de R$ 23. Pelo cálculo do estudo, em um ano, a diferença com a mudança de combustível reduziria o custo de R$ 13,2 mil para R$ 6,7 mil. Durante oito anos, prazo máximo para utilização dos carros do Estado, o uso de GNV no lugar da gasolina reduziria o custo para o Estado de R$ 105 mil para R$ 53 mil, uma redução de 48,93 %.

O secretário da Administração, Edelvino Góes, ressaltou a economia gerada para o Estado pelo projeto, além do ganho ambiental. “O convênio traz uma vantagem econômica expressiva para o Estado, além da melhora de qualidade do meio ambiente, com da diminuição da emissão de poluentes na atmosfera”, destacou. Já para o diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza, a assinatura do convênio é uma das principais etapas do Programa +GNV, que compreende uma série de iniciativas visando à expansão do mercado do combustível. “O segmento do GNV é muito importante para a Bahiagás e também para o desenvolvimento do Estado. A oferta de combustível mais barato possibilita a ampliação dos deslocamentos de pessoas e produtos, e, por conseguinte, a dinamização da economia nas regiões alcançadas pela iniciativa”, pontuou.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.