#Brasil: Bolsonaro assina decreto e salário mínimo passa para R$ 998; R$ 8 menor que o previsto

Postado em jan 2 2019 - 5:11pm por Jornal da Chapada



Orçamento formulado pelo governo Temer previa R$ 1.006; com inflação e PIB projetados para menos do que o esperado, o valor caiu R$ 8 | FOTO: Marcelo Camargo/Agência Brasil |

Decreto assinado por Jair Bolsonaro (PSL) fixou o salário mínimo em R$ 998 neste ano. O valor atual é de R$ 954. A publicação saiu na noite da última terça-feira (1º), em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa que constava do orçamento da União, de R$ 1.006, enviado em agosto do ano passado pelo governo Michel Temer (MDB) ao Congresso.

A equipe econômica de Temer dizia que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o valor) seria menor que a projeção anterior, quando foi proposto salário mínimo de R$ 1.006. O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que o salário mínimo serve de referência para o rendimento de cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.

Fórmula do salário mínimo
O reajuste obedece fórmula que leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e a variação da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do ano anterior. Para o salário mínimo de 2019, portanto, a fórmula determina a soma do resultado do PIB de 2017 (alta de 1%) e a previsão do INPC de 2018. O reajuste do salário mínimo no ano passado foi o menor em 24 anos.

Saiba Mais
Cada R$ 1 de aumento no salário mínimo gera incremento de cerca de R$ 300 milhões ao ano nas despesas do governo. Segundo cálculos do Dieese, porém, o salário mínimo “necessário” para despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, seria de R$ 3.959,98 ao mês. Com informações da Agência Estado e redação do ‘O POVO Online’.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.