CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal
Trending

Valmir pede informações sobre retirada de dados sobre saúde do povo negro do Ministério da Saúde

O levantamento retirado do portal do ministério é intitulado ‘Vigitel Brasil 2018 População Negra: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico’.

Diante da retirada do levantamento de 2018, sobre a saúde da população negra no país, do portal do Ministério da Saúde, o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) protocolou um requerimento de informação destinado ao ministro interino, Eduardo Panzuello. “Estamos diante de um provável caso de racismo institucional, agora promovido pelo Ministério da Saúde. Há denúncias de que a pasta pretende diluir estes dados, para invisibilizar o desmonte das políticas voltadas para a população negra. Estamos dando a oportunidade para que o ministro responda o porquê da retirada da pesquisa”, diz o parlamentar baiano.

O levantamento retirado do portal do ministério é intitulado ‘Vigitel Brasil 2018 População Negra: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico’. Mais de 52 mil pessoas foram ouvidas para a produção do estudo, que estava disponível desde julho de 2019. O deputado ainda requereu ao Ministério informações sobre as medidas que a pasta tomou para o enfrentamento do racismo institucional no órgão, além da disposição de dados acerca da mortalidade da população negra em decorrência da covid-19.

“Há levantamentos que apontam para a maior mortalidade da população negra durante a pandemia, mas é fundamental que tenhamos dados oficiais. Inclusive, também questionei o porquê da não existência de um mecanismo, no formulário de cadastro do SUS [Sistema Único de Saúde], para garantir a obrigatoriedade do preenchimento do quesito raça/cor no sistema”, completa Valmir. As informações são de assessoria.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios