CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundo
Trending

#Bahia: Secretário de Saúde rebate Bolsonaro e diz que “não faz sentido” obrigar pessoas a se vacinarem contra covid-19

Vilas-Boas também afirmou que, como não haverá vacina disponível para todos logo de início, as pessoas "terão autonomia de decidir se querem vacinar-se ou não".

O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, afirmou nesta quarta-feira (2) que a vacinação contra a covid-19 deve priorizar grupos de risco em um primeiro momento e não faz sentido querer que ela seja obrigatória. A declaração foi dada durante inauguração da reforma e ampliação da Unidade de Emergência de Pirajá, em Salvador, após o titular da pasta ser questionado sobre um comentário do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que afirmou que o Estado não iria obrigar ninguém a se vacinar.

“Eu acho que num primeiro momento é para vacinar toda população de risco. Vacinar toda população é impossível. Vai ser feita a vacinação como se faz com vacina de gripe, vacina quem é de risco. Pessoas com mais de 60 anos, portadores de comorbidade, essa é a população que tem maior risco de morrer”, disse o secretário.

Vilas-Boas também afirmou que, como não haverá vacina disponível para todos logo de início, as pessoas “terão autonomia de decidir se querem vacinar-se ou não”. “Obrigar as pessoas a se vacinar por essa doença não faz muito sentido num primeiro momento, que não vai ter vacina para todos e prefiro vacinar quem quer se vacinado do que quem está se recusando”, afirmou.

Ainda segundo Vilas-Boas, a Covid-19 tem uma capacidade de contágio menor do que de outras doenças, o que justificaria a não-obrigatoriedade. “É diferente de uma vacina de sarampo, de febre amarela, mas principalmente sarampo, que a taxa de contágio, a capacidade de infectar… Uma pessoa com sarampo contamina 17. Uma pessoa com covid contamina 2”, diz o secretário. As informações são do G1.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios