CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolíticaTop
Trending

#Chapada: Professores protestam contra perseguição política do prefeito Adalberto Luz a uma educadora em Ituaçu

A atitude, tida como arbitrária pelos manifestantes, resultou na demissão da educadora Ana Paula Teixeira da rede municipal de ensino no dia 21 de dezembro.

Um ato de protesto neste sábado (26) em apoio a uma professora do município de Ituaçu, na Chapada Diamantina, destacou ações de perseguição política realizada pelo prefeito Adalberto Luz (PTB). Em vídeos enviados ao Jornal da Chapada, manifestantes acusam o gestor de abrir processo administrativo, sendo a professora julgada e condenada sem ao menos ter tido o direito de se defender. O resultado do processo foi a demissão da educadora Ana Paula Teixeira da rede municipal de ensino no dia 21 de dezembro.

Ainda segundo informações, a atitude arbitrária foi considerada uma perseguição política após a professora Ana Paula fazer um protesto silencioso contra o prefeito durante sua participação em uma reunião. Durante o ato deste sábado, os manifestantes contam que a perseguição aumentou com abertura de um processo administrativo, acusando a mesma de malversação de dinheiro público, além de ser conselheira do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e ter reprovado as contas do ano de 2019 por não ter tido acesso a nenhum documento para análise.

“O motivo do protesto é em apoio à professora Ana Paula Texeira e em repúdio à atitude arbitrária do gestor municipal. No dia 21 de dezembro o prefeito demitiu a professora Ana Paula. Ela sofre perseguição desde que ele assumiu. E a perseguição começou após a professora fazer um protesto silencioso contra o mesmo durante uma reunião. Daí aumentou a perseguição por meio de um processo administrativo contra a professora alegando que a mesma tinha feito malversação do dinheiro público. A professora foi processada, julgada e condenada sem ter a oportunidade de se defender”, aponta a liderança do protesto em um carro de som nas ruas do município chapadeiro.

“A professora é conselheira do Fundeb e, no ano de 2019, reprovou as contas da educação juntamente com o vereador porque não tiveram nenhum documento para análise. Nós estamos em pleno século 21, onde o servidor público tem direito de se manifestar. Chega senhor gestor, o senhor está muito ultrapassado. É preciso lembrar que ninguém está acima da lei, nem você, nem eu e nem outro cidadão. A sua atitude será corrigida e o senhor irá se arrepender de ter agido desrespeitando as leis municipais, estaduais e federais. Um bom gestor tem diálogo, pensa antes de fazer um ato como esse, arbitrário e desrespeitoso. O professor precisa ser respeitado. Não é inteligente da sua parte agir da forma que agiu”, completa um dos organizadores do protesto a favor da educação e direito dos educadores. O Jornal da Chapada não conseguiu contato com o prefeito Adalberto Luz, mas o espaço está franqueado para o gestor se manifestar.

Jornal da Chapada

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios