CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal
Trending

#Bahia: Suíca reforça pedido de inclusão dos Guias e Monitores de Turismo no auxílio emergencial de Salvador

“Sem esse benefício, os profissionais de turismo não estão podendo sustentar suas famílias. São mais de 100 profissionais entre associados e não associados”, aponta Suíca.

A inclusão dos Guias e Monitores de Turismo no auxílio emergencial de Salvador foi mais uma vez reforçada pelo vereador Luiz Carlos Suíca (PT). Nesta terça-feira (16), o vice-presidente da Comissão de Cultura da Câmara voltou a cobrar a medida durante audiência com a bancada via internet. Suíca defende que a prefeitura municipal precisa “urgentemente solucionar essa questão”. Ele diz que os impactos da pandemia da covid-19 acometeram fortemente a cultura e o turismo na capital baiana.

“Nosso mandato encaminhou uma indicação ao gestor para a inclusão desses guias e monitores no programa ‘Auxílio Salvador por Todos’, para que possam receber a quantia de R$270, até que retornem para suas atividades laborais”, justifica o edil petista. Suíca aponta que a crise sanitária vem causando prejuízos à humanidade, e que em Salvador, a maioria dos profissionais de turismo encontra-se em vulnerabilidade econômica.

“Sem esse benefício, os profissionais de turismo não estão podendo sustentar suas famílias. São mais de 100 profissionais entre associados e não associados”, aponta Suíca. O vereador convidou para a reunião da comissão a secretária da Associação dos Guias e Monitores de Turismo da Bahia (Agmtur), Rose Kalile, como porta-voz da categoria. Ela expôs as dificuldades que vêm enfrentando esses profissionais, que preservam a história, a memória, os atrativos culturais e naturais da cidade.

“São trabalhadores que investem na profissão. Eles participaram de formações durante um longo período e fizeram consideráveis investimentos, incluindo o domínio de idiomas. E, em sua maioria, guias e monitores de turismo são trabalhadores autônomos e sua renda corresponde à quantidade de serviços prestados, predominantemente para as Agências de Turismo. Dessa forma, se não há turistas não há turismo, logo, não há renda”, completa Suíca. As informações são de assessoria.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios