Governador da Bahia diz que Geddel deveria ter sido o indicado pela oposição ao governo

Postado em ago 9 2014 - 11:32am por Jornal da Chapada
wagner e geddel

| FOTO: Reprodução |

O governador começa colocar lenha na fogueira da campanha eleitoral e partiu para críticas contra a formação da chapa da coligação “Unidos pela Bahia”, encabeçada por Paulo Souto (DEM). Para o petista, durante conversa com jornalistas na manhã de ontem, na governadoria, houve uma montagem de “cabeça para baixo” da agremiação oposicionista. “Geddel era para ser o candidato ao governo, a novidade. Acho que Paulo Souto é mais cara para o Senado”, opinou o chefe do Palácio de Ondina. Segundo o político, o máximo que Souto poderá alcançar nas pesquisas já foi divulgado. Quando questionado da escolha por Rui, o cacique defendeu o nome do seu ex-secretário da Casa Civil e braço direito nos últimos anos de mandato. “Gabrielli, Pinheiro e Rui estavam na disputa. Gabrielli é um excelente quadro, mas na Petrobras perdeu o contato com o povo. Pinheiro é muito mais conhecido do que Rui, mas apostamos nele justamente por conta da novidade que o nome representa. Foi um dos nossos parlamentares mais bem votados e pode dar continuidade ao projeto”, justificou.

O padrinho político do candidato governista disse acreditar que mesmo após greves marcantes, professores e policiais vão aderir à campanha petista. O político explicou que a insatisfação é nutrida pela “forte expectativa” da ascensão do PT ao governo do Estado e afirmou que a sua gestão foi a melhor gestão da história para o funcionalismo, principalmente aquele ligados aos segmentos da educação e segurança. “É só colocar na balança o que foi feito agora e o que foi feito no passado (…). Tenho certeza que não votarão em Paulo Souto”, argumentou. Se as críticas, indiretas e ironias foram para oposição de direita, Wagner, contudo, elogiou a senadora Lídice da Mata (PSB), ex-membro da coalizão do seu governo e agora opositora esquerdista. O governador lembrou da aproximação histórica entre os grupos petista e socialista e previu uma futura junção de ambos em um eventual segundo turno. “Ela frequenta minha casa, uma amiga pessoal. Claro que hoje ela é minha adversária nas urnas, mas mantemos boa relação. As rugas vão ocorrer, mas Lídice, com certeza, sempre estará mais próxima da gente”, disse.

Agradecimento
Procurado pela Tribuna, o candidato ao Senado, Geddel Vieira Lima (PMDB), respondeu às declarações de Wagner e agradeceu “humildemente o apoio dado” pelo petista. “O governo dele é frágil, qualquer um que fosse o candidato da oposição teria chance para vencer o candidato do continuísmo, mas recebo com todo apreço a declaração de Wagner como um apoio”, disse. O peemedebista, que lidera as pesquisas de intenção de voto na corrida ao Congresso, ironizou o modo do petista governar o estado e discorreu que a população cansou do “caos”, como afirmou, da saúde, educação e segurança. “As falas dele reconhecem que sou o melhor candidato ao Senado. Uma pena que não poderia utilizar a foto dele no meu santinho e não prefiro isso”, ironizou. Extraído da Tribuna da Bahia.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.