CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúde

Brasil: Quase metade das crianças ainda não tomou vacina contra a poliomielite

foto
A vacina contra a poliomielite (paralisia infantil) tem quase 100% de eficácia | FOTO: Tomaz Silva/Agência Brasil |

A campanha de vacinação contra poliomielite deste ano termina dia 31 de agosto, mas até agora quase metade do público-alvo ainda não foi imunizado. Das 12 milhões de crianças aguardadas nos postos de saúde de todo o país, 6,4 milhões receberam a vacina. De acordo com o Ministério da Saúde, crianças entre seis meses e cinco anos incompletos devem ser imunizadas, mesmo que já tenham completado o esquema vacinal contra a pólio.

A 36ª Campanha Nacional contra a Poliomielite começou no dia 15. Ela tem por objetivo atualizar o calendário vacinal das crianças até cinco anos que não tomaram alguma outra vacina da rede pública. Para que o profissional de saúde acompanhe as vacinas que a criança ainda não tomou, é importante que os responsáveis levem a caderneta ao posto de vacinação. Desde o início da campanha são disponibilizadas vacinas contra tuberculose, rotavírus, sarampo, rubéola, coqueluche, caxumba, varicela, meningites, febre amarela, hepatites, difteria e tétano, entre outras.

A vacina tem quase 100% de eficácia e pode ser aplicada mesmo em crianças com tosse, coriza, tinite ou diarreia. Em relação às crianças com infecções agudas, febre acima de 38ºC ou hipersensibilidade a algum componente da vacina, o Ministério da Saúde aconselha uma avaliação médica. Também conhecida como paralisia infantil, a poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nas pernas. O último caso da doença no Brasil foi em 1989. Da Agência Brasil.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas