Heróis da Revolta dos Búzios são homenageados em Salvador

Postado em dez 18 2015 - 12:37pm por Jornal da Chapada
foto5

Para o governador, quem conhece a história evita repetir erros de discriminação | FOTO: Manu Dias/GOVBA |

Uma bandeira em homenagem aos heróis da Revolta dos Búzios – Manoel Faustino, Luís Gonzaga, João de Deus e Lucas Dantas, que foram enforcados e esquartejados na Praça da Piedade, em Salvador – foi hasteada pelo governador Rui Costa e pela educadora e militante do movimento negro, Makota Valdina, ao som do Ilê Aiyê e do Olodum, nesta sexta-feira (18).

A instalação da réplica da bandeira do movimento, também conhecido como Revolta dos Alfaiates ou Conjuração Baiana, é resultado de uma articulação das secretarias estaduais de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), de Comunicação (Secom) e da Cultura (Secult), com apoio das organizações sociais do Olodum e do Ilê Ayiê.

Para o governador, quem conhece a história evita repetir erros de discriminação. “Como a história sempre é escrita pelos dominadores, lideranças expressivas que lutaram pela liberdade e pela igualdade entre homens e mulheres ficaram esquecidas e não tiveram relevância nos livros de história ao longo de séculos. Estamos reescrevendo a história para que o povo conheça de onde nós viemos, o que nós somos e o que nós queremos construir a partir do que nossos ancestrais fizeram no passado”.

Rui disse que as homenagens vão continuar. “Eu tenho conversado com algumas pessoas que constroem o movimento negro e nós vamos batizar algumas estações do metrô com o nome de pessoas da luta pela liberdade do povo negro”.

Mártires
Além de ser emancipacionista, a Revolta dos Búzios defendeu importantes mudanças sociais e políticas na sociedade. Os quatro líderes negros foram mortos, no dia 8 de novembro de 1799, por terem promovido o movimento que, após muitas lutas, avançou e contribuiu para a abolição da escravatura. Em 2011, após decreto presidencial, eles passaram a ser considerados oficialmente heróis nacionais.

Eles foram enforcados e esquartejados na Praça da Piedade, na capital baiana, onde se encontram hoje seus bustos em reconhecimento à importância da luta que empreenderam em prol da liberdade e da cidadania.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.